ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 22º

Artes

Chamada de nova novela das 6 está deixando paraguaios furiosos, entenda:

Uma das chamadas mostra Solano López, herói da Guerra do Paraguai, dizendo que todo o Brasil irá se curvar a ele

Por Lucas Mamédio | 13/03/2020 08:14
Solano López é retratado rapidamente como conquistador (Foto: Paulo Belote/Globo)
Solano López é retratado rapidamente como conquistador (Foto: Paulo Belote/Globo)

A nova novela das 6 da Globo, ‘Nos Tempos do Imperador’, ainda nem estreou e já está desagradando uma galera. Isso porque uma das chamadas que está sendo veiculada mexe com um personagem muito estimado pelo povo paraguaio, o marechal Francisco Solano López, líder das forças armadas e presidente do Paraguai durante a Guerra do Paraguai, que ocorreu entre 1864 e 1870.

A chamada em questão, de um minuto, mostra, no finzinho, o encontro entre Dom Pedro II e Solano Lopez em território, ao que parece, brasileiro. O personagem de Solano se apresenta, desce do cavalo e de forma desafiadora diz a frase: “Um dia todo o Brasil irá se curvar perante Solano López”. Em seguida usa sua espada para rasgar um mapa da América do Sul que está preso em um cavalete.

O fato é que por meio da Globo Internacional, alguns de nossos irmãos paraguaios assistiram a chamada e ficaram, pra dizer o mínimo, contrariados. Um deles, Victor Raul Vades, que mora em Campo Grande foi quem entrou em contato com o Lado B para retransmitir os votos de reprovação da família no Paraguai.

Conversamos com o pai dele, Victor Leoncio Valdes, que está no meio do Chaco Paraguaio, região árida do país vizinho. “Na chamada eles mostram Solano como um Napoleão Louco procurando guerra”, diz Victor se referindo ao imperador Francês do final do século 18, um dos personagens principais da Revolução Francesa.

Victor Leoncio Valdes não gostou do modo como Solano é retratado (Foto: Arquivo Pessoal)
Victor Leoncio Valdes não gostou do modo como Solano é retratado (Foto: Arquivo Pessoal)
Sebastian Servin também critica o personagem de Dom Pedor II (Foto: Arquivo Pessoal)
Sebastian Servin também critica o personagem de Dom Pedor II (Foto: Arquivo Pessoal)

Outro parente, o primo Sebastian Servin, pondera que nenhum dos dois personagens na chamada são retratados fielmente. “O imperador não era essa pessoa benevolente e tampouco marechal López atacou o Brasil de graça. Fico decepcionado que uma emissora tão grande como a Globo ignore a história desse jeito”.

A polêmica da chamada está sendo tanta, que vários veículos de comunicação paraguaios estão repercutindo o conteúdo promocional. O “Extra” diz na manchete: “Paraguaios criticam série brasileira por apresentar o marechal López como vilão”, seguido de vários relatos de paraguaios criticando a chamada em redes sociais.

Em outra reportagem do mesmo jornal, uma historiadora ouvida, Noelia Quintana, é bem incisiva, acha que tudo está sendo feito propositalmente.

“Sou contra que se toque no nome do marechal. Não acredito em coincidências: agora que se passaram 150 anos desde o assassinato do marechal, o Rede Globo lança esse tipo de romance que tem um grande impacto. Através deste romance, eles trarão uma justificativa baseada em mentiras. Eles tratam López como um tirano, querem deixá-lo como o vilão”.

A chamada também incomodou o presidente da Colônia Paraguaia em Campo Grande, Albino Romero. Para ele, a situação e os personagens são muito fantasiosos. “Estamos chocados, não aceitamos usar um herói do Paraguai assim, como vilão. Imagina, cortar o mapa da América do Sul, um absurdo”.

Para Albino a novela também não vem em boa hora. “Somos países irmãos, ainda mais nós aqui de Mato Grosso do Sul. Acho que a Globo está errando, está fora do tempo”.

Reportagem no Paraguai repercutindo a chamada (Foto: Extra.com.py)
Reportagem no Paraguai repercutindo a chamada (Foto: Extra.com.py)

O Lado B mostrou o vídeo para professora de história da UFMS Ana Paula Squinelo, uma das maiores especialistas em Guerra do Paraguai do Estado. “Eu assisti a chamada e não me pareceu motivo pra tanta coisa”.

Ela explica que, principalmente no pós-guerra, os países participantes criaram sua própria narrativa a fim justificar as ações durante o conflito. “Quando a guerra se encerra, aqueles que participaram da guerra ou não, militares vão começar a escrever as suas memórias e muitos desses autores vão criar essa imagem sim de Solano López como um monstro, como um ditador, um sanguinário, pra justificar, inclusive, toda a ação do império brasileiro em território paraguaio, como se fosse uma missão civilizatória”.

Mas essa visão que coloca o marechal como vilão não se restringiu ao Brasil. “No imediato do pós-guerra no Paraguai, Solano López também vai ser execrado. A figura dele só vai ser retomada na geração dos 900, na virada do século 19 para o século 20. E tem todo um contexto que é preciso entender, já que o Paraguai sai da guerra extremamente derrotado e isso não é uma construção historiográfica, é um fato, e tentava-se naquele momento construir uma memória para que essa nação pudesse se reerguer, digamos assim” .

Selton Mello interpreta Dom Pedro II (Foto: Paulo Belote/Globo)
Selton Mello interpreta Dom Pedro II (Foto: Paulo Belote/Globo)

Para a especialista, a Guerra do Paraguai é um dos episódios que mais sofreram manipulações historiográficas no Brasil, talvez por isso exalte tanto os ânimos. “Essas construções em torno da figura de Solano López têm a ver com os contextos históricos, políticos, culturais, ideológicos desses países, em diferentes momentos históricos”.

Por fim, Victor, o que nos enviou a mensagem, deixou sua opinião também. “O que eu acho disso tudo é que quem escreveu a novela usou demais da licença poética. Eu cresci ouvindo histórias da guerra desde criança. Sou filho de pai paraguaio. Essa guerra é considerada por muitos como um genocídio do povo paraguaio. Acho que a emissora precisa ter muito cuidado de como vai retratar essa história.”.

É importante reforçar que a trama tem seu início em 1854, uma década antes da Guerra do Paraguai e ainda não se sabe qual será o enredo partir do que foi brevemente mostrado nas chamadas.

‘Nos Tempos do Imperador’ estreia no dia 30 de março.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563 (chame agora mesmo).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário