ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 20º

Consumo

Com camisas e ecobags, Áurea quer celebrar a singularidade das pessoas

Ela é a criadora do Desordem LAB, um laboratório de pesquisas e práticas artísticas sustentáveis

Por Bárbara Cavalcanti | 21/07/2021 06:29
Áurea Novaes Silva Santos, de 26 anos, conhecida por 'Áurea Eu', é a criadora do Desordem Lab. (Foto: Divulgação)
Áurea Novaes Silva Santos, de 26 anos, conhecida por 'Áurea Eu', é a criadora do Desordem Lab. (Foto: Divulgação)

Áurea Novaes Silva Santos, conhecida pelo nome artístico ‘Áurea Eu’, tem 26 anos e tem como um de seus objetivos principais exaltar a singularidade de cada pessoa. Por meio de suas peças, principalmente camiseta e ecobags, Áurea quer transmitir esse conceito de identidade desde a concepção das estampas.

“Eu valorizo muito a individualidade de cada pessoa e a importância que cada uma delas tem e o quanto cada uma delas impactam positivamente, ou não, na sociedade”, declara.

Mas isso é apenas o topo do iceberg de tudo o que Áurea cria e quer transmitir. Ela é a criadora do Desordem LAB, um laboratório de pesquisas e práticas artísticas sustentáveis, ao qual ela se refere carinhosamente como “caos criativo construtivo”.

Uma das camisetas de Áurea, pintadas à mão. (Foto: Divulgação)
Uma das camisetas de Áurea, pintadas à mão. (Foto: Divulgação)

Nesse laboratório, ela produz com outras pessoas projetos nas áreas de artes cênicas e áudio visual, de produção de figurino e de outros produtos têxteis.

Um dos braços do Desordem LAB é a ‘Bagueria’, projeto que inclui camisetas e ecobags. As estampas, quem desenha é Áurea, à mão com tinta acrílica não tóxicas para tecidos. “Não trabalho com fôrmas. É tudo a mão livre. Porque cada camiseta deve ser única sempre, por mais que pertença a um design de uma coleção. Cada camiseta é como se fosse uma tela que vai receber um design, uma arte”, explica.

Processo de pintura das camisetas. (Foto: Arquivo Pessoal)
Processo de pintura das camisetas. (Foto: Arquivo Pessoal)

Toda arte de Áurea tem também o objetivo de celebrar a individualidade de cada um, além de causar reflexões, especialmente na forma de consumo. Nessa temática, ela inclui não apenas a criatividade artística, como o trato com o meio ambiente e a temática da diversidade LGBTQIA+.

“É por meio da arte que podemos promover reflexões e despertar as pessoas para a autopercepção de que a existência de cada uma delas impacta, positivamente ou não, o mundo por meio de suas ações que envolve principalmente a forma de consumo”, reforça.

Figurinos produzidos pelo Desordem Lab. (Foto: Divulgação)
Figurinos produzidos pelo Desordem Lab. (Foto: Divulgação)

Áurea defende que vida e meio ambiente precisam ser pensados juntos, ainda mais dentro do conceito artístico. “Minha forma de arte, é um trabalho integrador de multiareas. Eu vejo o mundo de forma holística. Considero bastante as variáveis. Minha forma de trabalho com arte inclui promoção de reflexões acerca da vida, acerca do meio ambiente. Vida e meio ambiente são indissociáveis”, expressa.

Por isso, Áurea é adepta ao Slow Fashion, que é uma forma de produção feita apenas sob demanda. As peças são feitas para ter mais durabilidade, com algodão, que é um produto que não polui tanto o meio ambiente quando descartado.

Ecobag com aquarela pintada à mão. (Foto: Reprodução Redes Sociais)
Ecobag com aquarela pintada à mão. (Foto: Reprodução Redes Sociais)

E além disso, Áurea também tem o cuidado de trabalhar com fornecedores e demais parceiros que também se importam com a questão ambiental e trazem condições dignas de trabalho para os funcionários.

“Eu não trabalho com estoque. Somente por encomendas, o que vai no contrafluxo das grandes indústrias que produzem massivamente e impõem um estilo para as pessoas de forma constante e vertiginosa como se as pessoas fossem os produtos e as roupas os rótulos”, explica.

Natural de Fátima do Sul e agora residente em Dourados de 2004, Áurea atualmente faz pós-graduação pela Universidade de São Paulo como aluna especial em duas matérias. O projeto de Áurea envolve design de superfícies têxteis a partir da técnica do Upcycling, que envolve reutilizar e criar produtos com tecidos que seriam descartados – o que também está incluso no empreendimento.

“Eu só voltei a academia para poder me especializar na área que eu tenho atuado. Eu faço muita questão do conhecimento que as pesquisas científicas tem para oferecer”, reforça.

Áurea durante a produção de um dos figurinos no Desordem Lab. (Foto: Arquivo Pessoal)
Áurea durante a produção de um dos figurinos no Desordem Lab. (Foto: Arquivo Pessoal)

O Bagueria faz parte do Living Lab MS, que é um projeto colaborativo iniciado pelo Sebrae MS com objetivo de desenvolver ideias inovadoras e startups no estado.

Ainda para Áuera, as relações humanas e a natureza são minhas maiores inspirações. “Meu projeto envolve muito do que o ser humano de tem melhor a oferecer: sua humanidade. Você vendo de fora vê a galeria, algumas peças de camisetas, mas o projeto interno vai muito além do que isso, muito, muito mais”, expressa.

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário