A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018

17/12/2016 07:20

Designer foi buscar em árvores e raízes a beleza em preto e branco do Pantanal

Raízes, folhas e o movimento das águas, são inspiração para refletir sobre a ligação do ser humano com a natureza

Thailla Torres
O fascínio pelas linhas e sombras, inspira BeatrizO fascínio pelas linhas e sombras, inspira Beatriz

A designer Beatriz Branco, de 28 anos, decidiu combinar o fascínio pelas linhas e sombras com a fotografia. Depois de muito viajar pelo mundo, voltou às origens e se apegou aos detalhes do Pantanal. Árvores, raízes, troncos, folhas e rios compõem retratos em preto e branco, características no trabalho da fotógrafa.

O projeto se chama Pandust - Uma Imersão no Pantanal. O nome surgiu de um brincadeira com as expressões, Pan, de Pantanal, e Dust, que significa poeira em inglês.  Em busca de mostrar a essência da natureza, mesmo longe do colorido. "As vezes, até questionam se fico limitada no preto e branco, mas é assim que consigo ter o contraste e o tom sombreamento, como se fossem os desenhos", justifica.

Nas fotografias, estão visões de Beatriz quando o assunto é sombra. "Sempre tive vontade de desenhar um assombreado e também gosto muito de linhas. Na foto, existe um contraste do preto e branco, onde há muito forte as sombras. Sempre imagino a fotografia como um desenho, por isso me apego aos detalhes das árvores e raízes", explica.

(Foto: Beatriz Branco)(Foto: Beatriz Branco)

A inspiração para fotografar surgiu depois de conhecer outras culturas. O que despertou em Beatriz a vontade de resgatar as origens e ter contato com uma beleza tão próxima, como o Pantanal.

"Tive oportunidade de contato com outras culturas e pessoas que me disseram para me inspirar no que viesse de mim. E quando voltei, despertei para a natureza que está tão perto e até então, via com outros olhos", detalha.

Com a fotografia, ela tem uma ligação desde a infância. "Eu era criança, quando ganhei uma máquina fotográfica antiga. Com o tempo, fui evoluindo e exercitando esse olhar", explica. 

Na busca de interpretar tudo a sua volta, Beatriz vai além de fotografar o meio ambiente. Cada retrato faz brotar um texto ou poesia, que reflete sobre a conexão do ser humano com a natureza, buscando compreender suas transformações. 

"Tudo se movimenta com a natureza. O sentimento que eu tenho é dessa relação que temos com ela, de maneira que vamos desacelerando quando estamos em contato. Me sensibilizo com as transformações da na natureza e com as coisas que eu sinto na minha vida. É aí que me inspiro e surge um texto ou uma poesia", comenta.


Beatriz conta que a fotografia trouxe uma nova maneira de enxergar a vida. "As linhas que eu sigo remetem ao movimento da vida e de certa forma tudo se movimenta com a natureza, com isso nós também evoluímos", explica.

Quando está longe da natureza, Beatriz também volta o olhar para as pessoas, geralmente, em situações cotidianas que a fazem refletir sobre fazer a diferença na vida do próximo.

"São pessoas que eu convivo ou aquelas que muitas vezes observo na rua. Uma das fotos, fiz de ribeirinhos atravessando o rio, do Paraguai a Porto Murtinho, para venderem cesto do outro lado. Isso aconteceu próximo do Dia do Rio e ali vi uma situação de muita dificuldade, que muitas vezes ninguém imagina", descreve.

Confira mais sobre o trabalho da designer e fotógrafa Beatriz Branco no Facebook.

 

(Foto: Beatriz Branco)(Foto: Beatriz Branco)
(Foto: Beatriz Branco)(Foto: Beatriz Branco)
(Foto: Beatriz Branco)(Foto: Beatriz Branco)
Designer foi buscar em árvores e raízes a beleza em preto e branco do Pantanal
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.