ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 12º

Artes

Inspirado pelos desenhos, Matheus já conseguiu chegar até Djonga

Aos 16 anos, o campo-grandense produz quadros que foram notados pelos rappers Djonga e FBC

Por Jéssica Fernandes | 25/06/2022 08:11
Ano passado, Matheus entregou quadro que fez para o MC Djonga. (Foto: Arquivo pessoal)
Ano passado, Matheus entregou quadro que fez para o MC Djonga. (Foto: Arquivo pessoal)

Aos 16 anos, Matheus Leony Vaz Cardoso conseguiu que seus quadros fossem notados por importantes rappers da cena nacional. Por meio da arte, ele chegou aos músicos mineiros Djonga e FBC.

Matheus conta que desenha desde criança e na escola teve a oportunidade de expor pela primeira vez os trabalhos. “Comecei a definir meu estilo aos 12 anos. Foi na mesma época que comecei a fazer grafite no projeto da escola e participei de exposições”, explica.

Nessa fase, o artista esclarece que descobriu ser possível seguir carreira na área. “Para mim foi uma coisa muito boa, porque me identifiquei e foi quando percebi que dava para levar como trabalho. Foi diferente, muito revelador”, expressa. Mesclando grafite e cartoon, o jovem revela quais são as principais referências que traz para os quadros. “Pego vivências, momentos, pessoas que conheço e músicas que escuto. Também pego referência do meio da moda, porque costumo colocar marcas de roupas e essas coisas”.

Quadros misturam elementos do cartoon com o grafite. (Foto: Arquivo pessoal)
Quadros misturam elementos do cartoon com o grafite. (Foto: Arquivo pessoal)

Graças a música, ele conseguiu chegar nos músicos que mais admira no contexto do rap. Há 3 anos, Matheus fez um desenho para o FBC e, desde então, ambos ficaram próximos. “Tem um outro artista que conheço e ele virou meu amigo. Fiz um desenho digital, marquei e ele começou a me seguir e incentivar muito. Ele deu a ideia de começar a desenhar os rappers para divulgar”, conta.

Devido a essa amizade, Matheus teve a oportunidade de conhecer no ano passado o Djonga e mostrar o quadro que tinha feito. O músico fez apresentação na primeira edição do Campão Cultural, em Campo Grande. Na ocasião, o jovem relata que pediu ajuda para conseguir ter acesso ao artista mineiro. "Quando teve o show, fiquei doido, mandei mensagem pro FBC e consegui ir”, lembra.

Em maio desde ano, o trabalho de Matheus chegou aos músicos e as pessoas de Belo Horizonte. O artista levou quadros para a cidade, pois foi novamente convidado por FBC e Djonga para prestigiar um show. "Eles me convidaram, curti o show de palco e tudo isso por causa da arte. Eu tinha um monte de quadros, vendi tudo em Belo Horizonte”, comemora.

Amigo do rapper FBC, Matheus tem a carreira apoiada pelo músico. (Foto: Arquivo pessoal)
Amigo do rapper FBC, Matheus tem a carreira apoiada pelo músico. (Foto: Arquivo pessoal)

Na visão do jovem, é maravilhoso ter conseguido ter o trabalho reconhecido em outro estado. “É um negócio muito louco, porque não tenho muitos seguidores, mas é uma galera que reconhece meu trabalho. É doido, porque sai de um lugar pequeno”, fala. Para ele, o significado é mais especial, pois o grafite costuma ser alvo de preconceito. "A arte da periferia são vandalizadas, vistas de forma feia, acham estranho ,mas não tem nada a ver, é arte também”, reforça.

Com planos de estudar belas artes em Minas Gerais, Matheus sonha com o dia em que conseguirá montar uma exposição. “Vou fazer dez quadros, tentar criar uma exposição, ganhar mais reconhecimento e chamar a atenção”, conclui. Quem quiser conhecer o trabalho dele, o Instagram é @leon__067

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias