ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 28º

Artes

Pandemia fez Daniela acordar para vida e encarar sonho de ser pintora

Pedagoda, Daniela viu, aos 35 anos, e no meio de uma pandemia, a oportundade de realizar um sonho: virar pintora

Por Lucas Mamédio | 16/02/2021 09:11
Daniel com retrato de Charlie Chaplin pintado por ela (Foto: Arquivo Pessoal)
Daniel com retrato de Charlie Chaplin pintado por ela (Foto: Arquivo Pessoal)

Nunca é tarde para se entregar ao mundo das artes. Aos 35 anos, Daniela Cristina Monteiro Lima sabe bem disso e se encontrou na prática da pintura em óleo, em um momento em que achava ser "tarde demais" esse tipo de sonho.

A pandemia, um período que levou muitos a se transformarem e encontrarem novas habilidades, também a se frustrarem desistindo dos sonhos, foi o motor transformador na vida de Daniela.

Moradora de Dourados, ela sempre foi envolvida com o mundo das artes. A paixão primeira foi pela leitura, pela poesia. Na infância, ainda em Nova Andradina, participou e ganhou concursos.

Daniela começou a pintar na pandemia (Foto: Arquivo Pessoal)
Daniela começou a pintar na pandemia (Foto: Arquivo Pessoal)

Sua última graduação foi artes cênicas, na UFGD, um sonho de criança de alguém que vê seu lado artístico acontecer após a vida adulta. Além desta graduação, Daniela ainda é formada em pedagogia e jornalismo.

O início da pandemia, em 2020, foi também o start para uma nova etapa dentro da sua trajetória no mundo artístico: a pintura a óleo.

No início da pandemia me dediquei a pintura acrílica, onde fiz algumas obras com material de MDF. No mesmo ano decidi acrescentar um novo aprendizado. Dai veio a dedicação a tela a óleo, da qual amo realizar cada obra ; um olhar ; um sentimento e tudo isso vem crescendo no meu carinho pela arte. Uma das minhas obras que marca minha vida é a tela de Charlie Chaplin”.

Artista sempre esteve encolvida no mundo artístico, desde criança (Foto: Arquivo Pessoal)
Artista sempre esteve encolvida no mundo artístico, desde criança (Foto: Arquivo Pessoal)

Daniela vê a arte com um "dom divino" e tem uma predileção pelos retratos. “Elas revelam a personalidade: o dizer sem precisar de falas; apenas pelo olhar você descobre tudo sobre si e o outro”.

Agora, depois do processo dolorosa que a pandemia trouxe para todos, Daniela acredita que descobriu seu talento. “Levar a arte e levar vida esperança; animo a todos que  busca seu ideal. Acredito que todos somos capazes de realizar o que nosso coração deseja seja corajoso e não desista assim o mundo lhe trará o que podemos ser confie em si”.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário