ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  19    CAMPO GRANDE 30º

Artes

"Terapia" vira colagem colorida com água de beterraba como tinta

Artista de MS aproveitou a pandemia para pôr em prática experimentações em colagens abstratas que viraram a série Composições

Por Raul Delvizio | 26/09/2020 08:10
Composição n° 1: detalhe do canto superior esquerdo (Foto: Maria Rodrigues)
Composição n° 1: detalhe do canto superior esquerdo (Foto: Maria Rodrigues)

Nas primeiras semanas de quarentena, muita gente cansou do ócio e transformou alguma coisa em passatempo. No caso da artista plástica Maria Rodrigues, um pouco de papel colorido, uma tesoura velha e bastante tinta guache deram conta do recado. Disso, virou uma sequência de trabalhos experimentais super coloridos intitulados "Composição".

A produção explorou formas, cores e a disposição no quadro conforme Maria posicionava os elementos recortados. Além disso, incluiu o uso de materiais comuns, de baixo custo, geralmente utilizados nas escola. Mas a peça surpresa veio da cozinha, e não do ateliê.

Composição n° 1: detalhe do canto superior direito (Foto: Maria Rodrigues)
Composição n° 1: detalhe do canto superior direito (Foto: Maria Rodrigues)

"Fiz recentemente uma tinta com a água da beterraba cozida. Eu achei linda aquela cor e não tive coragem de descartar. Usei esse sentimento ao meu favor para experimentar nas pinturas e colagens. As possibilidades na arte são infinitas", considera.

Formada em artes visuais pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), a artista também tem bagagem com a arteterapia pela sua pós-graduação no tema. "Existem inúmeras questões terapêuticas com relação à colagem. O que eu acho mais essencial é o fato dela propiciar você desconstruir algo que já exista, no caso o recorte dos papéis, e construir algo completamente novo", ressalta.

Artista plástica Maria Rodrigues (Foto: Arquivo Pessoal)
Artista plástica Maria Rodrigues (Foto: Arquivo Pessoal)

Mas porque as colagens? Maria explica: "confesso que ultimamente estou apaixonada por elas. Mas não queria pegar nada de revista, algo mais comum. Veio da ideia de trabalhar "colagem de cores", que tivesse uma interpretação mais subjetiva. O abstrato dá maior liberdade de eu explorar isso", comenta.

"Estou a 7 meses de quarentena. Fazer isto se tornou minha válvula de escape. Me expressar, sentir os materiais, criar com eles, brincar com cada elemento. Cortar, posicionar, reposicionar, colar, pintar. Parece bobeira, mas são por essas etapas que enxergo as sutilezas, e coloco toda minha angústia, estresse e ansiedade para fora".

"Um retrato pintado com a alma é um retrato, não do modelo mas sim do artista", Oscar Wilde (Foto: Arquivo Pessoal)
"Um retrato pintado com a alma é um retrato, não do modelo mas sim do artista", Oscar Wilde (Foto: Arquivo Pessoal)

O processo da artista é totalmente manual, mas a divulgação dessa série de trabalho teve que ir direto pro digital por conta da suspensão dos museus e exposições presenciais na Capital. "Eu não tinha o costume, mas a pandemia foi a oportunidade de compartilhar mais obras no meu perfil do Instagram e também uma conta no Tumblr, o que eu já fiz e até hoje nunca havia postado", admite.

Aproveitando a digitalização, Maria utilizou uma técnica de edição fotográfica de pós-produção para variar as cores e tons de matiz da obra "Composição nº 2". Confira a sequência completa na galeria logo abaixo.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Composição n° 1 (Foto: Maria Rodrigues)
Composição n° 1 (Foto: Maria Rodrigues)


Nos siga no Google Notícias
Confira a Galeria de Imagens:
Regras de comentário