ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, TERÇA  24    CAMPO GRANDE 33º

Artes

Vendendo fotos sensuais, mulheres tentam desbancar censura

Usando plataforma on-line, mulheres de Campo Grande posam para ensaios e comercializam as próprias fotos

Por Thailla Torres | 22/10/2020 06:45
Ensaios sensuais são feitos pela fotógrafa Andressa Melo, dona do projeto Mulheres Possíveis.
Ensaios sensuais são feitos pela fotógrafa Andressa Melo, dona do projeto Mulheres Possíveis.

Andressa Melo, de 26 anos, é fotógrafa em Campo Grande. Há três anos ela iniciou um projeto que visa desconstruir os padrões de beleza através da fotografia, e, recentemente, encontrou uma maneira de ganhar dinheiro e desbancar também a censura vendendo fotos e vídeos em poses sensuais. Às vezes, modelos também aparecem nuas no projeto.

Muita gente ainda confunde ou não entende o real trabalho da Andressa. Ela já ouviu de tudo: de mulheres que consideram as fotos pornográficas a homens que acham que as modelos são garotas de programa. E não é nada disso.

Andressa fotografou durante muito tempo e compartilhou no Instagram seu trabalho com uma pegada bastante sensual, longe dos padrões. Mas com as políticas cada vez mais rígidas da rede social, que acabam excluindo ou punindo o perfil, a fotógrafa passou a cobrar dentro de uma plataforma on-line o acesso aos ensaios. É simples, quem tem interesse de ver as fotos sem nenhuma censura paga para ter acesso a tudo.

Nos ensaios, elas fazem questão de mostrar as marcas do corpo que contam histórias de vida. (Foto: Andressa Melo/Mulheres Possíveis)
Nos ensaios, elas fazem questão de mostrar as marcas do corpo que contam histórias de vida. (Foto: Andressa Melo/Mulheres Possíveis)
Mulheres posam para fotos sensuais sem medo de mostrar todas as características do corpo. (Foto: Andressa Melo/Mulheres Possíveis)
Mulheres posam para fotos sensuais sem medo de mostrar todas as características do corpo. (Foto: Andressa Melo/Mulheres Possíveis)

E não é só Andressa que lucra com o negócio, as próprias modelos podem fazer parte da iniciativa e cobrar o acesso para suas próprias fotos dentro da plataforma. “Elas também têm vendido o próprio conteúdo. Tem menina que tem ganhado uma grana legal com isso”, explica Andressa.

Os valores cobrados não são altos, e o dinheiro que entra foi uma maneira de continuar sobrevivendo da fotografia durante a pandemia, explica Andressa, que não cobra o valor do ensaio das modelos, mas firma contrato para divulgação das imagens nas redes sociais e na plataforma de venda de acesso ao seu portfólio.

O objetivo mesmo, segundo a fotógrafa, é desmistificar o ensaio sensual ou nu artístico, rompendo com a ideia de que as fotos são “erradas” ou “inadequadas” para uma mulher.

“Justamente por isso o projeto chama-se ‘Mulheres Possíveis”, para desconstrução do padrão de beleza, mostrando que todas as mulheres são possíveis, belas e donas do próprio corpo.”, explica Andressa.

Apesar de muitas críticas nos últimos três anos de projeto, Andressa vem ganhando olhares de mulheres que desejam serem fotografadas e buscam enxergar a própria beleza. “É um projeto que trabalha muito a autoestima dessas mulheres, e de diferentes mulheres, de diferentes idades. Sempre busquei bater na tecla que todas as mulheres são bonitas e sensuais. E o ensaio mostra que elas podem sim fazer o que elas bem entenderem”.

Quem quiser saber mais ou participar do projeto de Andressa, basta segui-la no Instagram.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Projeto também maneira de romper censura com o corpo feminino. (Foto: Andressa Melo/Mulheres Possíveis)
Projeto também maneira de romper censura com o corpo feminino. (Foto: Andressa Melo/Mulheres Possíveis)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário