ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SÁBADO  19    CAMPO GRANDE 15º

Comportamento

Após vida dedicada à costura, Maria "se salvou" no amigurumi

Maria perdeu o emprego de costureira na pademia, mas encontrou no amigurimi um motivo para não esmorecer

Por Lucas Mamédio | 10/05/2021 08:37
Maria fazendo amigurumi em casa após perder emprego (Foto: Arquivo Pessoal)
Maria fazendo amigurumi em casa após perder emprego (Foto: Arquivo Pessoal)

Dar significado à vida após uma certa idade é um dos maiores desafios das pessoas. Muitas vezes não temos mais tantos amigos, a rotina se esvazia com a falta do trabalho e tudo isso é terreno fértil para angústia.

Nesse contexto, se sentir produtivo é o melhor sentimento possível. Para os idosos, a pandemia foi um duro golpe, porque lhes tirou o pouco que tinham. Porém, para alguns, foi pior ainda, principalmente para aqueles que por escolha ou necessidade ainda trabalhavam.

Maria Jesus Nantes, de 67 anos, trabalhou como costureira nos últimos 20 anos de sua vida. Depositava na possibilidade de realização do ofício a felicidade de uma velhice tranquila e feliz. Pois a pandemia tirou isso dela.

Boneca feita pode Maria (Foto: Arquivo Pessoal)
Boneca feita pode Maria (Foto: Arquivo Pessoal)

Maria foi uma das primeiras  “vítimas” do coronavírus, mas não vítima dessas que estamos infelizmente acostumados a ver, ela foi outro tipo de vítima, também muito comum.

“Trabalhei mais de 20 na indústria da costura e quando veio a pandemia a última empresa que trabalhei deu a rescisão de quem era do grupo de risco”.

Perdida em meio à impossibilidade de trabalhar, Maria, que mora apenas com a irmã, já que o único filho é casado e já não vive mais com ela, se viu sem o emprego, isolada e ainda com contas a pagar.

“Eu ainda me sustento, preciso de dinheiro para fazer minhas coisa”.

Foi algum tempo de procura, testando coisas até que encontrou o amigurumi, técnica refinada que transforma o crochê em bonecas. “Como não gosto de ficar parada, gosto ser produtiva, comecei a buscar o que fazer e vi no amigurumi uma saída”.

Maria diz que demorou um pouco para aprender (Foto: Aquivo Pessoal)
Maria diz que demorou um pouco para aprender (Foto: Aquivo Pessoal)

O amigurumi foi não só uma saída para o tédio e para o medo impostos pelo momento, mas também uma alternativa para ganhar dinheiro. “Eu gostei bastante de fazer o amigurumi, no começo deu demorei bastante pra começar a vender pra aprender também”.

Desde então Maria tem se dedicado à técnica que aprimora cada vez mais. “No começo fazia por fazer, depois comecei a pegar o jeito e vender, o que tem me ajudado muito”.

Família e amigos viram que o amigurumi “salvou” Maria antes mesmo dela esmorecer. “Acho que se não tivesse sido o amigurumi estaria muito triste, ele tem sido essencial”.

Para acompanhar mais do trabalho de Maria pode acessar o Instagram dela.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário