A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

10/02/2017 06:15

Fotos no escurecer da porteira foram final feliz de casal que viveu à distância

Paula Maciulevicius
Ensaio terminou às escuras e varal transformou cenário em puro romance. (Foto: Deivison Pedrê)Ensaio terminou às escuras e varal transformou cenário em puro romance. (Foto: Deivison Pedrê)

O amor foi o maior ingrediente usado no ensaio que quase não deu certo. Na terceira tentativa de fazer as fotos pré-casamento, o cair da luz do sol deixou o enredo ainda mais belo. Na cena, a porteira com o varal de lâmpadas colocaram em evidência que a maior vontade de Kenelin e Lyndon era de ficarem juntos depois de tantos anos de desencontros e relacionamento à distância.

O casal se conheceu em 2009, mas ainda não era a hora deles. Ele estava no Ensino Médio e ela já na faculdade e os dois só ficaram amigos. Três anos depois, Kenelin foi participar de um projeto da Igreja Adventista, de colportagem e acabou parando na equipe liderada por Lyndon. Ao final do trabalho, os planos eram de engatar um namoro, mas estes também foram adiados.

"A situação estava muito complicada à distância. Ele foi para São Paulo estudar, eu voltei para Campo Grande, era época de prova da OAB. Não tínhamos nem tempo e condições de nos falar e acabamos desistindo da ideia", conta a advogada Kenelin Stumpf Medina, hoje com 26 anos.

Kenelin e Lyndon viveram namoro e noivado à distância até o sim. (Foto: Deivison Pedrê)Kenelin e Lyndon viveram namoro e noivado à distância até o sim. (Foto: Deivison Pedrê)

Os meses seguintes foram, como ela descreve com doçura, "uma tortura". "Os dois sabiam que tinha sentimento e não tinha como dar continuidade, então cada um foi para o seu canto, mas não namorou com mais ninguém", narra.

Mais três anos e o tempo conspirou a favor. A circunstância já era considerada mais favorável, então eles começaram o tão desejado namoro.

No entanto, a distância ainda pesava. Kenelin morava em Campo Grande e o namorado, em Curitiba. Uma proposta de trabalho lá fez ela aprontar as malas, mas de novo, Lyndon foi transferido.

Durante todo o tempo entre namoro e noivado, eles mal dividiram a mesma cidade. E foi essa correria que fez com que o ensaio quase não saísse.

Às vésperas do sim, marcado para novembro do ano passado, eles tentaram por duas vezes fotografar. A primeira não deu, a segunda, também falhou quando todo mundo já estava dentro do carro para partir e a última foi às 4h da tarde do último dia do noivo em Campo Grande.

"Não tínhamos local definido, era difícil para ele também conseguir liberação e a data estava bem perto já. Naquele dia, ele viajava 8h da noite", recorda a noiva. Aquela era a última chance. "Pegamos a estrada para Sidrolândia, meu pai sabia de alguns lugares por ali e fomos até uma plantação de arroz, onde iam ficar legais as fotos, mas já tinham colhido", conta.

Casal tentou por três vezes fazer ensaio e últim tentativa não só deu certo, como relatou o amor que resistiu a todas as circunstâncias. (Foto: Deivison Pedrê)Casal tentou por três vezes fazer ensaio e últim tentativa não só deu certo, como relatou o amor que resistiu a todas as circunstâncias. (Foto: Deivison Pedrê)

Amigo do casal, Deivison Pedrê, que se ofereceu de fazer as fotos, isso porque o fotógrafo oficial não tinha mais agenda para seguir o casal em tantas tentativas. "Continuamos seguindo até a gente passar por um campo e tinha uma porteira bem ali", narra.

Deivison já previa que poderia ficar sem luz e levou todo aparato, incluindo o varal de lampadinhas românticas e o nobreak. "Escureceu e fizemos as fotos ali mesmo", lembra Kenelin.

A medida em que as fotos eram feitas, o casal ia conferindo e se encantando. "Eu tenho um carinho muito grande, quando eu vejo agora, pelo momento que a gente estava vivendo. Nós tentamos marcar durante o ano todo e não deu. Ali era a última oportunidade que a gente tinha, para algo tão importante para o nosso casamento", descreve a noiva.

O casal só se viu dois meses depois, já no dia do "sim". "Eu vi que estava tudo encaixando perfeitamente. A gente não tinha nem lugar escolhido e deu certo, o dia estava lindo e Deus conduziu tudo perfeitamente".

Após o casamento, Kenelin e Lyndon foram, enfim, morar na mesma cidade, em Palmital, no Paraná. 

Curta o Lado B no Facebook

Com o sol se pondo. (Foto: Deivison Pedrê)Com o sol se pondo. (Foto: Deivison Pedrê)
E o varal de lâmpadas. (Foto: Deivison Pedrê)E o varal de lâmpadas. (Foto: Deivison Pedrê)



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.