ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 

Comportamento

Nas horas vagas, André tira a farda de policial para virar mestre-cuca

Sem cogitar abandonar a farda, cabo Saldanha entrou para curso de gastronomia ao lado da namorada

Por Raul Delvizio | 22/03/2021 09:55
Cabo Saldanha ao lado da namorada; juntos, entraram para curso de gastronomia (Foto: Arquivo Pessoal)
Cabo Saldanha ao lado da namorada; juntos, entraram para curso de gastronomia (Foto: Arquivo Pessoal)

Aos 44 anos, André Oliveira Saldanha é o cabo da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) que não dispensa um bom prato – especialmente se for feito por ele. Ao lado da namorada, ele pretende embarcar em uma nova aventura: a de se tornar chef profissional. Mas isso sem nem cogitar largar a farda. Em casa, já recebeu a “patente” de mestre-cuca pela amada, além de sua própria filha.

“A profissão de policial é nobre e de suma importância, porém não vou negar que é desgastante. A cozinha, porém, já me serve de terapia. Sou o policial lá fora que dentro de casa tenho uma namorada e uma filha de 13 anos lindas, em que faço o café da manhã, preparo o almoço e também coloco a janta na mesa”, garante.

Sem tempo para preguiça, até almoço para os companheiros de serviço ele já fez (Foto: Arquivo Pessoal)
Sem tempo para preguiça, até almoço para os companheiros de serviço ele já fez (Foto: Arquivo Pessoal)

Seu relacionamento com a cozinha teve início quando André tinha 12 anos de idade e ainda acompanhava seu pai na lida do gado, em uma fazenda na região de Antônio João, distante 317 quilômetros de Campo Grande.

“Apesar de vir de uma família abastada, com um pai que trabalhou como presidente de órgãos governamentais, tivemos uma vida simples. Quando chegávamos tarde na sede da fazenda o caseiro já estava dormindo, e nós mesmos éramos quem preparava a comida. Meu interesse surgiu pela necessidade de jantar rápido e ir direto para a cama. Lembro bem que o meu pai sempre sorria quando via o mesmo arroz e carne feitos de sempre, mas ainda sim me perguntava: ‘o que tem pra nós hoje Dedé?’”.

Com o passar dos anos, o simples arroz com carne que fazia ao lado do pai ficou "gourmet" (Foto: Arquivo Pessoal)
Com o passar dos anos, o simples arroz com carne que fazia ao lado do pai ficou "gourmet" (Foto: Arquivo Pessoal)

Já na juventude, o gosto pela gastronomia permaneceu. “Ainda mais entendendo que a arte de cozinhar puxa os olhos de muitas mulheres”, brinca. E acrescenta falando sério: “cada um de nós joga com o que temos, não é mesmo?”.

Por mais que gostasse de trabalhar na fazenda, com a criação de gado, André sempre teve um apreço pelo serviço militar. Quando foi no ano de 2006, um primo decidiu o convidar para fazer o concurso da PM de MS. “Acabou que me inscrevi, fiz a prova e passei. Quanto ao meu primo, ele acabou se esquecendo dos prazos e nem participou daquele seleção”, recorda.

Na sua profissão, André conta que o serviço de rua é bastante cansativo. “Imagine lidarmos todos os dias com os nossos próprio problemas pessoais e ainda ter que passar por infortúnios de outras 10 a 20 famílias por dia. Brigas de marido e mulher, furtos que o filho fez para usar drogas, ladrões sendo caçados por roubos, o desagrado de entrar em uma cena de estupro, o tato que se deve ter a uma vítima, o embate no soco com um autor que se recusa a ser preso, uma troca de tiro onde sobe a adrenalina… é muita coisa”, confirma.

É aí que entra a arte da cozinha. “Às vezes é pura válvula de escape mesmo, uma forma de fazermos uma atividade mais light, agradável. Talvez seja o inverso de uma ocorrência. Existem situações no trabalho da PM que não chegamos a um final agradável com um bom prato de massa”, compara.

Brincalhão, Saldanha apronta peripécias na cozinha em diferentes pratos (Foto: Arquivo Pessoal)
Brincalhão, Saldanha apronta peripécias na cozinha em diferentes pratos (Foto: Arquivo Pessoal)
Vai um almocinho preparado por Saldanha? Menu é sempre bastante completo (Foto: Arquivo Pessoal)
Vai um almocinho preparado por Saldanha? Menu é sempre bastante completo (Foto: Arquivo Pessoal)

Com Saldanha tem muitos companheiros de serviço nas redes sociais e, sempre postando os pratos que faz, acabava que recebia no trabalho uma zoada do pessoal como se tivesse comprado tudo em restaurantes ao invés de ele mesmo ter preparado. “Foi o sargenteante Santos Silva que começou com a brincadeira. Até meu coronel Almada soltou um sorrisinho e se prontificou a comprar os ingredientes para uma refeição no rancho do quartel. Lá é tudo família”, diz.

Dito e feito. “Provei pondo a mão na massa. Fiz um risoto para todo mundo na hora do almoço. Não teve quem não curtiu. ‘Não é que o cabo manja mesmo das panelas?!’, brincaram. Foi uma confraternização muito divertida”, relembra.

Sobre sua assinatura gastronômica, André assegura que seu sangue árabe se mistura com o italiano. “Mas sem esquecer da boa e velha comida pantaneira, da cultura fronteiriça do Paraguai, onde fui criado”. Ele passou muitos anos morando em Ponta Porão antes de se mudar para Campo Grande.

Saldanha tira selfie com a equipe da 11ª Companhia Independente de PM do bairro Nova Lima (Foto: Arquivo Pessoal)
Saldanha tira selfie com a equipe da 11ª Companhia Independente de PM do bairro Nova Lima (Foto: Arquivo Pessoal)
"Risotão" foi o prato preparado por Saldanha para seus companheiros; claro, sem faltar o feijãozinho (Foto: Arquivo Pessoal)
"Risotão" foi o prato preparado por Saldanha para seus companheiros; claro, sem faltar o feijãozinho (Foto: Arquivo Pessoal)

Chef “profissa” – Incentivado pela amada e também por amigos, Saldanha resolveu procurar um curso profissionalizante de mestre-cuca. “Junta da minha namorada, serão dois anos para eu tirar o diploma de chef de cozinha e ela de confeiteira. Quando formados, pretendemos partir nas férias para um intercâmbio gastronômico na França e fazermos da nossa mania de cozinhar uma experiência transformadora”, almeja.

“Mas, claro, isso sem largar meu serviço militar. Não tem divisão: as duas atividades estão no mesmo lugar do meu coração”, finaliza.

Confira a seguir outros delícias culinárias do cabo Saldanha.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Versão de Saldanha de Yakisoba, macarrão oriental com legumes (Foto: Arquivo Pessoal)
Versão de Saldanha de Yakisoba, macarrão oriental com legumes (Foto: Arquivo Pessoal)
Paella espanhola com frutos do mar (Foto: Arquivo Pessoal)
Paella espanhola com frutos do mar (Foto: Arquivo Pessoal)
Prato de espaguete ao molho sugo (Foto: Arquivo Pessoal)
Prato de espaguete ao molho sugo (Foto: Arquivo Pessoal)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário