A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

11/06/2018 08:33

Você é do tipo que vende presente do ex ou investiga se o crush deve na praça?

Veja o que as pesquisas andam falando sobre casais na véspera do Dia dos Namorados

Thailla Torres
Izabela achou uma super ideia vender o presente que só traz lembrança indesejável.  (Foto: Fernando Antunes)Izabela achou uma super ideia vender o presente que só traz lembrança indesejável. (Foto: Fernando Antunes)

Dia dos Namorados também virou data para se livrar daquele presentinho do ex e até avaliar se o parceiro é um bom consumidor. Pelo menos é o que apontam algumas pesquisas para o dia mais romântico do ano.

Dados do site de vendas e compras OLX, por exemplo, indicam que 30% das pessoas estão dispostas a desapegar do presente ganhado do ex para comprar um mimo ao atual. Já uma pesquisa da Boa Vista SCPC, diz que 66% dos namorados têm interesse em saber do score (risco de inadimplência) do parceiro ou parceira, antes de engatar algo mais sério.

Se isso é verdade ou marketing, a gente não sabe. Mas pelo menos em Campo Grande, a maioria das pessoas ainda não tinha despertado para isso. O Lado B foi às ruas saber quais dos levantamentos mexe com a cabeça do campo-grandense, solteiro ou compromissado.

Jean ficou entusiasmado com a ideia de vender o presente. (Foto: Fernando Antunes)Jean ficou entusiasmado com a ideia de vender o presente. (Foto: Fernando Antunes)

O resultado da OLX fez Jean Paulo Costa, de 36 anos, pensar pela primeira vez no assunto. Solteiro há 6 meses, ele diz nunca ter vendido um presente da ex-namorada, mas agora não dispensa a ideia. "Olha, eu realmente não tinha pensando nisso. Mas venderia sim, sem problemas", afirma. Mas dar um presente usado está fora de cogitação diz referente ao 59,6% das pessoas que disseram dar um presente usado à alma gêmea. "Usado de jeito nenhum, presente tem que ser novo", afirma.

A acadêmica de Publicidade e Propaganda, Izabela Pazin, de 19 anos, não tem dúvidas de que venderia. "Olha, nunca vendi. Na verdade não sei como não pensei nisso antes, porque o presente fica como lembrança e dá raiva na gente", diz. Do último relacionamento ficou um livro que até hoje ela não conseguiu passar da primeira página. "Fica na minha cabeceira, até minhas amigas já leram e eu não. Por isso eu venderia", afirma.

Para quem viu o relacionamento terminar uma semana depois de ganhar um presente, a ideia de vender chega como alento. "Boa ideia, eu não cheguei a vender, mas dei para outra pessoa. Ficar olhando presente de ex não me traz boas lembranças", diz Pamela Mapeli, de 18 anos. Ela deu recentemente uma almofada de unicórnio que ganhou do ex-namorado. "Ele me deu e uma semana depois o relacionamento terminou de vez".

Gabriel diz que nunca venderia.  (Foto: Fernando Antunes)Gabriel diz que nunca venderia. (Foto: Fernando Antunes)

Tem gente que discorda e acredita que presente é algo valioso. "Não venderia de jeito nenhum. O presente, geralmente, foi dado em um momento bom que você teve com a pessoa. É carregado de energia e se você vende para presentear outra, não é sincero. Presente tem que ser guardado", diz Gabriel Logan, de 21 anos.

Agora se tem uma coisa que parece mexer com curiosidade do campo-grandense é score da pessoa amada, mesmo que ninguém tenha pedido, ainda, para saber qual é o indicador do parceiro. Pamela é direta. "Pra mim faz toda diferença, principalmente, se eu quero um futuro com a pessoa. E se eu souber que o score é baixo, a gente confia menos", afirma.

Maria Fernanda Fontoura, de 16 anos, não teme em falar da curiosidade. "Acho digno saber. Porque como vou financiar uma casa, por exemplo, com quem não paga as próprias contas?", questiona. E acrescenta suas prioridades. "Tem que ter um score bom, porque se a pessoa for caloteira, ela não vai me levar nem para comer um dogão", ri.

Pamela já deu um presente e adoraria conferir o score.  (Foto: Fernando Antunes)Pamela já deu um presente e adoraria conferir o score. (Foto: Fernando Antunes)
Wallace diz que o score não influencia no relacionamento. Oi Wallace diz que o score não influencia no relacionamento. Oi

Com presente do Dia dos Namorados guardado a sete chaves, o vendedor Wallace Moreira da Silva, de 19 anos, dá risada de ambas pesquisas. "É engraçado, mas acho que com a facilidade da internet fica mais fácil vender um presente e ninguém precisa saber que você vendeu". Já o score, para ele, é desnecessário. "Se a pessoa deve ou não, isso é uma coisa muito pessoal e não influencia no namoro. A gente nunca sabe quais são as dificuldades do outro, e conta, todo mundo tem", garante.

Segundo o Boa Vista SCPC, 51% dos entrevistados dizem que o score não é um indicador de compatibilidade para se relacionar. De modo geral, acham importante conhecer o score porque surgem planos para o futuro que muitas vezes dependem de crédito para virarem realidade. Os dados são da Pesquisa Hábitos de Consumo do Dia dos Namorados, elaborada no mês passado, com mais de mil entrevistados em todo o Brasil.

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.