ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  07    CAMPO GRANDE 20º

Consumo

A 3 mil km daqui, torre de tereré está fazendo sucesso em Manaus

Não existem fronteiras quando o assunto é tereré e loja aberta em 2017 já inspirou empresário no interior do Amazonas

Por Lucas Mamédio | 09/07/2020 07:17
Torre de tereré é servida com suco de limão (Foto: Divulgação/Empório do Tereré)
Torre de tereré é servida com suco de limão (Foto: Divulgação/Empório do Tereré)

Se tiver passando por Manaus e bater aquela vontade de tomar tereré, fica tranquilo, vai encontrar o produto por lá. E não foi levado por nenhum sul-mato-grossense não, é obra de um acreano, o que deixa tudo mais interessante.

Wellynton Cardoso Ferreira, ex-bancário, e agora empresário, possui desde 2017 a loja Empório do Tereré, agora com duas unidades. Ele vende vários produtos ligados à bebida, bem como para chimarrão também.

“Visitei Manaus em 2014 e, apesar da proximidade com estados onde o tereré é tradicional, identifiquei que não tomavam tereré e não possuíam a cultura, dei início ao projeto de montar a loja então”, explica o empresário.

Como trabalhava em um banco, em 2016 Wellynton foi convidado a concorrer a uma vaga gerencial, não sabia cidade definida, mas poderia ser Manaus ou Belém do Pará, foi quando recebeu o voucher da passagem e descobriu que iria para Manaus.

A torre tem feito muito sucesso, tanto que segunda loja já foi aberta (Foto: Divulgação/Empório do Tereré)
A torre tem feito muito sucesso, tanto que segunda loja já foi aberta (Foto: Divulgação/Empório do Tereré)

“Manaus é uma cidade quente, úmida onde a sensação térmica ultrapassa os 40° durante o dia e chega a casa dos 32° durante a noite. Enquanto pesquisava local para a loja, a esposa ia se preparando para deixar o emprego e encarar o novo desafio. Selecionei alguns pontos para locação e visitei cada um deles em todos os horários para identificar o fluxo de pessoas, afinal eu iria trazer algo novo para Manaus. Em 18 de agosto de 2017 inaugurava a loja Empório do Tereré”.

Mas por que um acreano transferido para Manaus teve a ideia de investir em tereré? Que ligação ele tem com o produto? “A cultura do tereré veio de berço, meu pai era motorista e há muitos anos conheceu o tereré, e sempre tomava o chimarrão de manhã cedo, e durante o dia o tereré... E passou essa cultura para os filhos e netos. Em nosso estado (Acre) já possuía a cultura, encontramos erva em supermercado, distribuidoras, lojas agropecuárias. Então identificamos a oportunidade de levar a cultura para uma cidade grande, quente e que não conhecia o nosso tereré”.

Wellynton diz que investe na experiência com música e outros produtos (Foto: Divulgação)
Wellynton diz que investe na experiência com música e outros produtos (Foto: Divulgação)

Para conseguir implantar essa cultura, teve muito pesquisa e estudo, diz Wellynton. “Abri uma página bem específica cujo nome era “Amantes do Tereré - AM”. Dessa forma iria identificar apenas as pessoas que tivessem afinidade com o produto, afinal não podia errar, não tínhamos capital para uma segunda tentativa. Manaus é um grande polo industrial que abriga muitas pessoas de outros estados, e nessa pesquisa de mercado identifiquei que 90% dos meu seguidores eram de outros estados, mas moravam em Manaus. Então caía a ficha que Manaus não conhecia tereré”.

Mesmo arriscado, ele e esposa decidiram apostar no atendimento, ambiente temático, música ambiente fiel, no caso só sertanejo. “Apostamos em toda nossa experiência, minha esposa gerente de hotel conhece bastante essa parte operacional, eu gerente bancário, conhecimento em vendas”.

Wellynton é natural do Acre, mas vive me Manaus desde 2016 (Foto: Arquivo Pessoal)
Wellynton é natural do Acre, mas vive me Manaus desde 2016 (Foto: Arquivo Pessoal)

Mais interessante são as pequenas adaptações que o tereré sofreu lá, uma delas é a torre de tereré. “No início identificamos que a cada 10 que provaram com água apenas uma gostava, aí traçamos a estratégia de oferecer com suco de limão, foi então que conseguimos fazer com que a cada 10 que experimentam nove gostam do tereré. Atualmente oferecemos torres com água, suco ou limão espremido”.

A loja de Wellynton foi inspiração para um outro empresário levar o tereré mais longe ainda, dentro do Amazonas. Carlos Felipe Moledo Venâncio abriu uma loja de tereré em Tefé, no interior amazonense, é a Tereré House.

“Sou de Pauini, divisa com Acre, e lá o tereré é muito forte. Então decidi abrir aqui em Tefé porque é uma cidade que recebe muita gente de fora, por conta da base militar instalada aqui”.

Nenhum dos dois conhece Mato Grosso do Sul. Wellynton já conheceu Mato Grosso, e pretendia vir esse ano para Campo Grande visitar fábricas de erva, mas por enquanto os planos estão suspensos.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.