ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 21º

Consumo

Aluguel de roupas de grife começa a ganhar espaço no país

Por Danielle Assis | 01/12/2020 08:15
Fonte: quinntheislander / Pixabay
Fonte: quinntheislander / Pixabay

A indústria têxtil movimenta bilhões todos os anos no mundo e o processo de confecção de uma peça de roupa envolve diversos setores, que vão desde os produtores de algodão, até costureiros que finalizam as peças e vendedores dentro das lojas.

Por mais que tudo isso seja muito positivo para a economia e gere empregos por todo o globo, essa indústria também é responsável por criar inúmeros impactos negativos para o meio ambiente.

A partir disso, surgiu o termo moda sustentável, que diz respeito a um conjunto de atitudes que buscam minimizar os danos ambientais causados pelo processo de desenvolvimento dos produtos.

Dentre os princípios desse movimento está o consumo consciente das roupas e calçados. Os brechós há um bom tempo promovem isso através da venda de peças que já pertenceram a alguém e passam a ter um novo dono, mas nos últimos anos surgiram novas maneiras de disseminar essa tendência.

O aluguel de peças de luxo é muito comum em diversos países, começou timidamente no Brasil e hoje já está cada vez mais disseminado e procurado.

Segundo a especialista em estilo do portal Universo Delas, Patrícia Souza, muitas mulheres têm o desejo de usar roupas de grife, mas nem sempre podem ou querem comprá-las por custarem mais caro. “Por isso o serviço de locação é muito interessante. Através dele é possível ter acesso a diversos itens de desejo sem gastar muito e ainda desfilar sempre com uma roupa diferente”, destaca Patrícia.

Como funciona o serviço – Nas grandes metrópoles é possível visitar lojas físicas especializadas no aluguel de roupas de grife. Porém, elas não são tão facilmente encontradas em cidades menores.

A alternativa para quem não tem acesso direto aos espaços que oferecem esse serviço são os sites de locação.

Esses e-commerces funcionam como uma loja virtual qualquer. Ao acessá-los o consumidor encontra todos os itens que estão disponíveis com uma descrição completa que contém tamanho, medidas, marca e todas as informações relevantes.

A diferença é que nesses sites não é feita a compra das peças e sim assina-se um contrato de locação, que pode ser de diversos períodos que vão desde quatro dias até um mês.

O preço da locação varia de acordo com o tipo de roupa e a sua marca, sendo que normalmente ele é equivalente a cerca de 30% do valor de compra da mesma peça nova.

Após realizar o aluguel o cliente recebe os itens em casa, os utiliza pelo tempo contratado e devolve. Assim, de maneira bastante simples, é possível colaborar com o meio ambiente e se manter sempre na moda.

Nos siga no Google Notícias