ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUARTA  01    CAMPO GRANDE 22º

Consumo

Engenheira ambiental, Isabela ensina a fazer bioglitter para usar na folia

É a época do ano mais animada e brilhosa de todas, mas que tal curtir o Carnaval e as cores de forma consciente e sustentável?

Por Alana Portela | 24/02/2020 09:43
Isabela Sampaio passando o bioglitter no rosto da cliente. (Foto: Kísie Ainoã)
Isabela Sampaio passando o bioglitter no rosto da cliente. (Foto: Kísie Ainoã)

O Carnaval é a época mais animada e brilhosa do ano, com cores diversas e muita purpurina para iluminar e colorir tudo ao redor. Contudo, também é um período de pensar no meio ambiente e trocar o glitter pelo bioglitter, que é mais sustentável e fácil de preparar em casa. Quem ensina os leitores do Lado B a fazer é a engenheira ambiental, Isabela Sampaio.

“É feito de Ágar-ágar, uma gelatina vegetal. Usamos também Mica moída, que é um mineral brilhoso e corante alimentício”, adianta ela sobre os ingredientes que a pessoa precisa ter para fazer o bioglitter em casa.

O modo de preparo também é simples, basta lembrar-se daquela velha receitinha de brigadeiro e “boom”, seu glitter ficará pronto em instantes. Numa panela pequena, misture o Ágar-ágar com a Mica, corante e um pouco água. “O corante alimentício é usado de acordo com a cor que a pessoa deseja”, explica Isabela.

Bioglitter na cor pérola para colorir seu carnaval. (Foto: Kísie Ainoã)
Bioglitter na cor pérola para colorir seu carnaval. (Foto: Kísie Ainoã)
Tem também o produto na cor verde para ser comprado. (Foto: Kísie Ainoã)
Tem também o produto na cor verde para ser comprado. (Foto: Kísie Ainoã)

Depois de esquentar bem e o produto engrossar, é hora de retirar da panela e deixar secar. “Tiro e espalho numa superfície de silicone ou de acetato. Após esfriar, ela vira uma folha de gelatina brilhosa. Para transformar no glitter, bato a folha de gelatina no processador até ficar em floquinhos”, ensina.

O próximo passo é armazenar o bioglitter já pronto num potinho. Dependendo da quantidade, dá até para três pessoas usarem o mesmo produto. “Da mesma forma que o glitter, ele precisa de um creme, base ou até água por baixo para grudar no corpo. Para retirar depois é simples, só lavar que sai”.

A engenheira ambiental comenta que um dos pontos positivos do produto é ser sustentável. “Não se usa micro plástico, que apesar de ser algo barato e simples, mas não sabe o mal que faz. Vai pelo ralo e não sai com tratamento de água. Fica na natureza por centenas de anos”, destaca.

Isabela Sampaio entrou na onda e passou o produto no rosto. (Foto: Kísie Ainoã)
Isabela Sampaio entrou na onda e passou o produto no rosto. (Foto: Kísie Ainoã)

Ela aprendeu a fazer o produto na internet e neste ano, resolveu por em prática as técnicas para curtir a folia de forma mais saudável para o planeta. Como procurou, mas não encontrou em Campo Grande, Isabela aproveitou a oportunidade para vender os bioglitters e até criou um perfil no Instagram @isa_bioglitter.

No estoque, ela tem as cores; pérola, dourado, vermelho, roxo, verde e até unicórnio, que é a mistura de várias cores. Isabela venda o produto por R$ 8,00 ou para quem quiser comprar dois ela faz por R$ 15,00 e três por R$ 20,00.

Neste Carnaval ela vai está em bloquinhos de rua vendendo o produto ou pode entregar para quem encomendar através do perfil que criou.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563 (chame agora mesmo).

Tem várias opções de cores de bioglitter para curtir a folia. (Foto: Kísie Ainoã)
Tem várias opções de cores de bioglitter para curtir a folia. (Foto: Kísie Ainoã)