ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  03    CAMPO GRANDE 19º

Consumo

Na quarentena, fotos ganham força como um livro de história

Ao lado de outros fotógrafos, Beatriz e Josi oferecem álbum para guardarmos todos os registros importantes nos últimos dias

Por Thailla Torres | 16/05/2020 08:31
Álbum pode ser montado por adultos e crianças. (Foto: Chloè Studio)
Álbum pode ser montado por adultos e crianças. (Foto: Chloè Studio)

O momento em que estamos vivendo com a pandemia tem sido importante para a humanidade, e também dentro de cada família, com cada mudança e descoberta de novas rotinas. E pensar como serão as memórias de adultos e crianças lá na frente fez com que um grupo de fotógrafas criasse um álbum especial para guardar importantes registros dos últimos dias, especialmente durante quarentena.

As campo-grandenses Beatriz Terra e Josi Grenge, amigas e fotógrafas, são duas dos inúmeros profissionais da fotografia que abraçaram o projeto “Álbum Amor”, criado pela Chlòe Studio, empresa que não é daqui, mas tem conectado fotógrafos de todo país, para que eles tenham uma renda extra nesse momento tão difícil.

O projeto consiste num álbum feito pelo cliente, com sua própria história, onde é possível colar fotos, escrever e as crianças podem desenhar. Você escolhe a cor preferida do álbum e o número de fotos a serem reveladas.

Beatriz e Josi são fotógrafas em Campo Grande. (Foto: Bueno Fotografia)
Beatriz e Josi são fotógrafas em Campo Grande. (Foto: Bueno Fotografia)

O objeto não é muito diferente de qualquer álbum de fotografia que você já tenha visto na vida, mas por conta da quarentena, famílias têm ressignificado os álbuns e as fotografias impressas, uma vez que boa parte das fotos ficam ou se perdem com o tempo no celular. Há quem mande tudo para a nuvem, mas quem ainda revela?

Beatriz e Josi sempre tiveram muito carinho com as fotografias reveladas, principalmente as que seguem sendo preservadas pela família. “As fotografias da minha família me fizeram ter grande parte da minha sensibilidade fotográfica que carrego hoje”, explica Josi. “Minha avó materna, com quem temos muita ligação, dá muito valor à fotografia, temos muitas fotos antigas”, completa Beatriz.

Por isso, também, participar do projeto se fez necessário para as duas.  “A fotografia não é essencial como o alimento, mas acreditamos que ela é essencial para a história das nossas famílias, para a história da humanidade”, explica.

Fotos reveladas por Beatriz. (Foto: Beatriz Terra)
Fotos reveladas por Beatriz. (Foto: Beatriz Terra)

Ela e Josi ainda não estão fotografando todos os clientes como antes. “Aqui no Mato Grosso do Sul muitas pessoas continuam lidando como se o mundo estivesse normal, mas nós não concordamos com algumas situações e escolhemos não fotografar crianças e gestantes, pelo risco que elas correm e pela grande possibilidade de que todos podemos ser um vetor de espalhar o vírus. Por isso vimos a necessidade de inovar nossa prestação de serviço, como um todo”, pontua Beatriz.

Mas não fotografar não significa ficar alheia aos momentos que precisam ser registrados, por isso, você pode entrar em contato com elas e revelar as fotos feitas com o próprio celular.

“A fotografia te traz pessoas que você não tem mais, momentos que não consegue reviver. Uma foto da minha madrinha comigo no colo, por exemplo, me traz sentimentos de acolhimento, me lembram como minha infância foi boa, como eu fui danada e amada. Em momento de incertezas e medos, a esperança quase palpável na fotografia nos conecta é o que temos de melhor, e pode nos ajudar a passar por isso tudo”, acrescenta.

Além disso é uma forma de registrar sensações que as vezes passam despercebidas na rotina, diz Josi. “A fotografia tem o poder de despertar vários sentidos, é como se eu conseguisse sentir o cheiro daquele momento, ouvir aquela gargalhada, até sentir o conforto do abraço daquele momento registrado, por isso, sou como aquela pessoa que que ler livro segurando e folheando é mais legal que ler um digital. Com a fotografia sinto a mesma coisa. Sou apaixonada por materializar em papel os sentimentos que vivo nelas”, finaliza.


Se você ficou interessado no projeto, basta entrar em contato com as meninas pelas redes sociais e saber mais sobre o Álbum Amor. Além de eternizar os momentos, você pode colaborar com o trabalho dos fotógrafos. Instagram da Beatriz Terra (clique aqui) e Instagram da Josi Grenge (clique aqui)

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.