ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 31º

Consumo

Único boliche que restou na cidade fica “escondido”, mas sobrevive

Poucos sabem, mas em shopping tem um boliche para quem deseja matar a saudade dos tempos de "Strike"

Por Bárbara Cavalcanti | 20/07/2021 06:25
Boliche tem quatro pistas disponíveis para grupos de até seis pessoas. (Foto: Divulgação Play Games)
Boliche tem quatro pistas disponíveis para grupos de até seis pessoas. (Foto: Divulgação Play Games)

No ano passado, o tradicional Strike no Bairro Jardim dos Estados fechou as portas do dia para a noite após 30 anos.

O local deixou saudade de momentos como aniversários, festas, campeonatos e até mesmo a vontade de quem sempre desmarcava o rolê e agora ficou só na vontade.

Uma das festas memoráveis aconteceu há quase 10 anos e o motivo era celebrar uma data especial: 12 de dezembro de 2012. Quem teve a ideia foi o locutor e publicitário Alessandro Moreira dos Reis, de 45 anos.

“Meu esposo sempre gostou de datas meio inusitadas. Nesse dia, ele nos disse: ‘Gente, temos que comemorar, pois o próximo dia 12/12/12 será só em 3012’”, relembrou a esposa Margiane Correa dos Reis, de 46 anos.

O publicitário Alessandro Moreira dos Reis, de 45 anos, no strike, celebrando o dia 12/12/12. (Foto: Arquivo Pessoal)
O publicitário Alessandro Moreira dos Reis, de 45 anos, no strike, celebrando o dia 12/12/12. (Foto: Arquivo Pessoal)

O casal e os filhos passaram algumas horas no local. “Foi muito legal, porque o ambiente era super agradável, a comida boa e o espaço era muito bacana. Nos divertimos e passamos momentos em família que dificilmente vai se repetir”, comenta.

Francisco Bonancia chegou a ser presidente da Federação de Boliche em Mato Grosso do Sul. Hoje reside em Dourados, mas lembra das vezes que chegou de treinar e até competir no Strike do Jardim dos Estados. “Era um lugar muito bom. A estrutura era bacana, certamente um lugar que deixou muita saudade”, expressa.

Local também era utilizado para treino de boliche profissional. (Foto: Arquivo Pessoal)
Local também era utilizado para treino de boliche profissional. (Foto: Arquivo Pessoal)

O local também foi lembrança de infância da jornalista Isadora Leiria, de 27 anos. Ao Lado B, ela conta que frequentou o local pela primeira vez com menos de 10 anos de idade, inicialmente apenas utilizando a estrutura reservada para crianças mais novas.

“Fui para jogar boliche só algumas vezes, mas adorava, porque a gente só via pistas de boliche em filmes ou seriados norte americanos, então era muito legal de ter um aqui na cidade. E eu era muito ruim! Só jogava nos cantos, mas já consegui fazer alguns strikes - por pura sorte, nada de habilidade”, relembra. A última ida de Isadora ao Strike foi por um motivo especial: o aniversário de 18 anos, em 2011 com as amigas.

Quem também usou o strike para celebrar uma data marcante, foi a analista de monitoramento de redes, Juliana Benitez de Oliveira. “Foi meu aniversário de 11 anos. Minha mãe me perguntou o que eu queria, e eu pedi o strike porque estava “bombado” naquela época. Meu primo mais velho quem foi lá e reservou tudo. E foi só a gurizada, só as crianças. Meus primos mais velhos foram para ficar cuidando, e minha irmã e alguns primos mais novos utilizaram a parte para as crianças mais pequenininhas”, relembra.

Juliana até quis comemorar outro aniversário, mas esse plano não chegou de ser concretizado. “Deixou muita saudade mesmo, mas eu ia gostar de ter outra oportunidade de colocar esse plano em prática”, reforça.

Apesar das lembranças e da estrutura não serem páreo, ainda tem um lugar para matar a saudade e se divertir jogando boliche com os amigos.

O Lado B foi atrás de todas as informações sobre como não passar vontade na hora de jogar boliche.

A único lugar para jogar boliche em Campo Grande fica “escondido” no Play Games, dentro do Shopping Bosque dos Ipês.

No boliche do Play Center, também teve superherói jogando, em ação ao Dia do Orgulho Nerd. (Foto: Divulgação)
No boliche do Play Center, também teve superherói jogando, em ação ao Dia do Orgulho Nerd. (Foto: Divulgação)

O “sobrevivente” tem apenas quatro pistas, e divide o espaço com os outros atrativos infantis. Mas está em funcionamento, disponível para grupos de até seis pessoas em cada pista.

O funcionamento do local é de domingo à domingo. De segunda à sexta-feira, fica aberto das 15h às 21h. E aos sábados, domingos e feriados, do meio dia às 20h. Não é necessário fazer reserva, é só chegar e jogar.

Os valores também variam de acordo com os dias da semana. De segunda à quinta-feira, a meia hora sai por R$ 40 e uma hora, por R$ 60. Já nos fins de semana e feriado, a meia hora fica no valor de R$ 60, e a hora inteira, em R$ 80.

E ainda tem opções de comes e bebes para quem quiser beliscar no local. O estabelecimento serve porções de batata e steak de tilápia, além de diversas bebidas.

Antigo Strike – Depois de 30 anos, o tradicional local de boliche com 14 pistas, fechou as portas sem explicações. Um comunicado na porta. Sem esclarecer motivos específicos, apenas deixou uma mensagem de agradecimento aos colaboradores, fornecedores e clientes.

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário