ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 31º

Diversão

Carlos Marun celebra a vida e a amizade como âncora de programa de pescaria

Por Silvio Andrade, especial para o Campo Grande News | 17/04/2021 09:02
Marum gravando programa Pesca e Amizade, no ar inicialmente pelo canal do Youtube. (Foto: Divulgação)
Marum gravando programa Pesca e Amizade, no ar inicialmente pelo canal do Youtube. (Foto: Divulgação)

Com seu jeito peculiar de bonachão, esteja ou não exercendo um alto cargo na política nacional, onde transita com desenvoltura, o gaúcho porto-alegrense Carlos Eduardo Xavier Marun, ou Carlos Marun, 60, está se preparando para entrar em uma nova seara: a de apresentador de programa de TV. Deixou o conselho da Itaipu Binacional sem nenhum arranhão e parte para um novo desafio, compartilhando a paixão pela pesca e o dom da amizade.

O nome do programa já diz tudo, Pesca & Amizade, no ar inicialmente pelo canal do Youtube. A produção de um piloto, de 44 minutos, mostrou Marun muito a vontade para um iniciante. O projeto idealizado por ele busca reportar os polos de pesca esportiva no Brasil, em especial os de Mato Grosso do Sul, e, como diz, "celebrar a vida" na companhia de amigos que cultivou na vida pública e nos mais de 37 anos de morada em Campo Grande.

"Vocês me conhecem de terno e gravata exercendo algumas das funções mais tensas da nossa república", se apresenta no vídeo o advogado e engenheiro civil que foi deputado federal e estadual, secretário do Estado e do Município e chegou a ministro da Secretaria de Governo, na gestão do presidente Michel Temer. O programa-piloto foi gravado no Passo do Lontra, Pantanal de Corumbá, na companhia do ex-deputado estadual Antônio Carlos Arroyo.

Arroyo e Marum ao lado de dupla sertaneja durante uma das noites pós-pescaria.
Arroyo e Marum ao lado de dupla sertaneja durante uma das noites pós-pescaria.

"Olha como é fácil pescar..."

"Peguei covid-19, não foi uma covidinha, mas um covidão, e fiquei 14 dias hospitalizado. Felizmente, Deus me deu essa oportunidade de continuar trilhando pelos caminhos da vida e esses dias no hospital me levaram a muitas reflexões", prossegue. "Dentre elas, tomei uma decisão: fazer um programa de pesca, com o objetivo mais de convencer você a também viver momentos felizes com uma bela pescaria e convivência com a natureza."

O programa mostra imagens das cidades que se percorre, a partir de Campo Grande, até o Passo do Lontra, uma comunidade de pescadores e ótima estrutura para pesca esportiva e ecoturismo, distante 310 km da Capital. Marun apresenta o Passo do Lontra Parque Hotel e comete uma gafe: o hotel fica em Corumbá, não em Miranda, como disse, cujo limite é o Morro do Azeite, antes do Buraco da Piranha (BR-262). Nada que a produção não resolva...

Amante da pesca esportiva, Marun convida o telespectador a compartilhar das emoções e deixa um recado àqueles que nunca a praticaram: "É muito fácil pescar, não é uma coisa difícil. Quero incentiva-los com esse programa". Já no Lontra, lembra que conheceu Corumbá quando chegou ao Estado, em 1984, viajando pela Estrada-Parque, único acesso a cidade na época e hoje uma estrada ecológica que beneficia também o agronegócio no Pantanal.

O programa-piloto mostra a estrutura do hotel, a gastronomia e o ambiente do Pantanal, a partir dos rios Miranda e Vermelho, com uma trilha sonora ao tilintar da viola caipira. Marun apresenta seu primeiro convidado, Arroyo, também engenheiro civil, 67 anos, paulista de Nova Granada, ex-secretário de Obras do governador Pedro Pedrossian, e despacha: "Olhem como é fácil pescar, trouxe apenas esta calça e este tênis, o resto o hotel oferece".

Making off das gravações do programa que envolve estrutura de filmagem em barcos. (Foto: Divulgação)
Making off das gravações do programa que envolve estrutura de filmagem em barcos. (Foto: Divulgação)

"Essa piranha parece pacu..."

Marun e Arroyo saem para a pescaria e o programa segue despertando curiosidades e atraindo atenção, atributos essenciais para ganhar público. "Peguei uma piranha, parece um pacu!", celebra o apresentador. "Agora podemos tomar a primeira cerveja, e o barco é o melhor lugar". Arroyo complementa: "é piranha, mas o que vale é a sensação de tirar o peixe do rio". No primeiro dia de pesca, nada de peixe nobre, apenas dois barbados pequenos e um armau (abotoado).

"Não é só a pesca, o mais importante é presenciar a fauna, estou impressionado", diz Arroyo, depois de observar jacarés, capivaras, tuiuiús, macacos bugio, ariranhas e dezenas de aves. À noite, no hotel, Marun entrevista o casal dono do hotel construído sobre palafitas, Alessandro e Marju Venturini, onde o assunto é a sustentabilidade da atividade com a prática do pesque-solte. Falam dos impactos da pandemia no turismo, com queda de 40% na região.

Uma conversa que prende a atenção do telespectador e mostra um programa que tem tudo para agradar pela variedade de temas e belas imagens. Por fim, Marun entrevista Arroyo, seu amigo e ex-adversário político. "Estamos aqui aperitivando (peixe frito) com um bom vinho", conta o gaúcho. Arroyo fala de sua carreira profissional e política construída no Estado e da sua paixão pela pesca. E o programa termina em grande estilo: com música sertaneja.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário