ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, TERÇA  02    CAMPO GRANDE 15º

Diversão

Delegado diz que não tinha efetivo para ir a hospital prender Loubet

Cantor sertanejo sofreu um acidente na BR-060 nesta segunda-feira (27) e foi constatado pela PRF que estava embriagado

Por Leandro Abreu | 27/06/2016 19:54
PRF constatou 0,64mg de álcool por litro de sangue no teste do bafômetro feito com Loubet. (Foto: Divulgação)
PRF constatou 0,64mg de álcool por litro de sangue no teste do bafômetro feito com Loubet. (Foto: Divulgação)
Cantor contou sobre acidente em suas redes sociais e deu outra justificativa. (Reprodução Facebook)
Cantor contou sobre acidente em suas redes sociais e deu outra justificativa. (Reprodução Facebook)

Falta de policiais e diferentes interpretações da lei são os motivos alegados pelo delegado Carlos Eduardo Trevelin Millan, de Sidrolândia, por não ter prendido em flagrante o cantor sertanejo Loubet, que, bêbado, dormiu no volante de sua Ranger e só parou quando a caminhonete bateu em um barranco, já na margem da BR-060.

registro da PRF (Polícia Rodoviária Federal) constatou 0,64mg de álcool por litro de sangue no teste do bafômetro, enquanto o aceitável é até 0,05mg/l. Mesmo assim, Loubet foi atendido em um hospital no município, a 70 km de Campo Grande, e, depois, viajou para a casa, na Capital. 

A confirmação de presença do álcool no sangue do cantor, conforme o delegado, não é elemento suficiente para prendê-lo em flagrante por direção perigosa. “No acidente ele se feriu e precisou ir para o hospital. Nesse caso, atrapalha um pouco o nosso trabalho, porque precisamos constatar a falta de capacidade psicomotora para dirigir, não só o teste do bafômetro. E como ele pode ter sido medicado no hospital, poderia atrapalhar nesse caso”, explicou.

Não bastasse isso, o delegado joga a culpa na falta de efetivo em sua delegacia. Trevelin disse que aguardava Loubet se apresentar à polícia após ter alta do hospital, o que não ocorreu.

“Na situação dele, como foi internado e não foi nos apresentado na delegacia, dificulta o trabalho. E nesse caso depende muito da disponibilidade de pessoal, por isso ficamos aguardando a apresentação. Agora ele será convocado para ser ouvido nos próximos dias. Uma outra pessoa que presenciou o acidente também deve vir prestar depoimento”, disse o delegado.

Mesmo “escapando” da prisão em flagrante, Loubet ainda terá de pagar multa de R$ 1.915,00, além de ter a CNH suspensa por um ano. Segundo a PRF, cabia à Polícia Civil efetuar a prisão do cantor após a liberação médica, o que não ocorreu.

O caso foi registrado como direção perigosa e dirigir sob influência de álcool, o que deve ser mais investigado, conforme o delegado. “Vamos pegar o prontuário médico de atendimento e verificar se existe algum elemento que apareça nos exames e comprove que ele não tinha capacidade psicomotora para dirigir. Se em depoimento ele confesse que bebeu e pegou a estrada e dependendo das circunstâncias isso tenha gerado risco a outros motoristas, poderia até alterar a tipificação do crime e se transformar em uma espécie de tentativa de homicídio doloso, mas tudo isso deve ser analisado com calma durante o inquérito policial”, concluiu.

Acidente - Por volta das 6h30, na altura do quilômetro 396, perto de Sidrolândia, Loubet invadiu o lado contrário da pista e foi parar na ribanceira. A caminhonete Ranger que dirigia não teve danos aparentes, nem o cantor saiu ferido. Um motorista que passava pelo local fez vídeos momentos após o acidente e diz que, “por pouco”, Loubet não atingiu o veículo onde ele estava.

No hospital, a informação é de que o cantor foi liberado por volta das 11h30, porque ficou um tempo em observação. Segundo o empresário do cantor, conhecido como Badeco, ele não deveria ter dirigido depois de dias de agenda exaustiva. Loubet esteve ontem em Nioaque para show em uma rádio da cidade.