A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

06/03/2017 08:26

Trilha de 8 km no Morro do Ernesto foi mais divertida na companhia dos cachorros

Thailla Torres
Ao lado dos cães todo mundo enfrentou 8 km de caminhada e paisagem foi a recompensa. (Foto: Thailla Torres)Ao lado dos cães todo mundo enfrentou 8 km de caminhada e paisagem foi a recompensa. (Foto: Thailla Torres)

O domingo foi um dia especial para os donos de cães da raça Border Collie. Em grupo do Whatssap, eles planejaram uma trilha junto com os cães e, de brinde, ganharam a paisagem do alto do Morro do Ernesto, a cerca de 20 quilômetros do Centro de Campo Grande.

Grupo se encontrou na Fazenda Córrego limpo, a 20 km do Centro. (Foto: Thailla Torres)Grupo se encontrou na Fazenda Córrego limpo, a 20 km do Centro. (Foto: Thailla Torres)

O passeio exigiu alegria e disposição dos donos para acompanhar a energia da raça. Pela falta de espaço na cidade, a trilha foi uma alternativa para que os cães se divertissem. O técnico de informática, Paulo Henrique, de 33 anos, dono da Lola e Pandora, conta que foi um dos primeiros a entrar no grupo com objetivo de trocar experiências.

"A gente fala de cuidados, comportamento dos cães e até dos estragos que eles fazem em casa. Começamos em um grupo pequeno e cada vez mais estamos encontrando donos na cidade. Tenho elas há 3 anos, mas sou apaixonado por eles há 12. É uma raça muito carismática e dócil", afirma. 

O border collie exige um bom espaço para ficar e passeios diários para ser feliz. Sem gastar energia, o cão acaba buscando entretenimento em qualquer canto da casa e aí o estrago é certo. Dono da cadela Rita, Lucas Bais, de 26 anos, já perdeu as contas do que viu destruído pela frente.

"É um cão com excesso de energia e ele procura muito o que fazer. Quando não passeia, acaba fazendo coisas que pra gente é errado, mas para eles é pura diversão. Além de cadeira, chinelo e até roupa, já vi cachorro comendo parede. Eu ando com ela pelo menos duas vezes ao dia e quando vou para a fazenda, também vai comigo" conta Lucas.

Uma paradinha para se refrescar no caminho antes de chegar no topo do morro. (Foto: Thailla Torres)Uma paradinha para se refrescar no caminho antes de chegar no topo do morro. (Foto: Thailla Torres)

O passeio começou pela manhã com cerca de 30 pessoas e 14 animais que encaram a subida. E quem mais se cansou não foi o cão. A caminhada que entre pessoas dura cerca de 35 minutos até o alto, dessa vez durou mais de 1 hora para quem acompanhou o ritmo dos cães que iam se divertindo pelo caminho.

Sem coleiras, deitavam para descansar, tomar água e até aproveitaram uma nascente para se refrescar. Cada passo, era motivo de alegria para os donos que tiravam fotos e conversavam sobre o comportamento dos bichos.

"Só falo que cada border collie tem a sua personalidade. Não existe outro esteriótipo além de que todos são inteligentes. Tem cachorro tímido que não faz cocô na frente de pessoas, os que amam água e os que tem medo, além dos que gostam ou não de criança, mas o fato é que todos temos um amor em comum", explica o professor Jiri Prasil, que levou o cão Jack para se divertir.

Jiri menciona também a dificuldade de espaço para diversão. "A gente tem os parques, mas não conseguimos deixar eles soltos, porque há muitas crianças e, as vezes, não são todos os cães que se identificam", explica.

Jack ficou intrigado com as vacas. (Foto: Thailla Torres)Jack ficou intrigado com as vacas. (Foto: Thailla Torres)
Uma pausa para tomar água e receber um carinho. (Foto: Thailla Torres)Uma pausa para tomar água e receber um carinho. (Foto: Thailla Torres)

Quando todo mundo chegou ao destino, enquanto os cães brincavam, a felicidade era dos donos que aproveitaram a beleza no alto do morro. A nutricionista, Juliana da Silva Rosa, de 34 anos, fez o passeio pela primeira vez com a cadela Leona. "É um pouco cansativo, porque o percurso é longo para quem não está acostumada, mas aqui de cima vale muito a pena", afirma. 

Ela também ficou surpresa com a interação entre os cães. "Eu sempre tive muito medo de soltá-la com outros cachorros por receio de briga, mas não tivemos nenhum problema e fiquei admirada, ela está super feliz", afirma.

Apesar do cansaço, a paisagem compensou todo o esforço, diz Paulo. "Digamos que foi cansativa, porém prazerosa. Chegar no topo e ver essa vista maravilhosa compensa. Num certo momento achei que não iríamos conseguir, porque o sol foi ficando forte. Mas fiquei super feliz, principalmente, porque o grupo está crescendo", comemora.

Os donos orientam que é necessário cuidados antes de qualquer passeio. É importante não esquecer de água, petiscos, ração e, claro, sempre fazer os passeios em horários de menos calor e respeitar os limites da raça.

Quem tiver interesse em trocar experiências e acompanhar os eventos do grupo, pode curtir a página oficial de BorderCollie em MS no Facebook.

E agora confira a galeria de fotos para lotar a segunda-feira de amor.

Curta o Lado B no Facebook.

Depois de 1h de caminhada, paisagem foi recompensa para o grupo. (Foto: Thailla Torres)Depois de 1h de caminhada, paisagem foi recompensa para o grupo. (Foto: Thailla Torres)

imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.