A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 29 de Abril de 2017

02/04/2017 07:20

Em praça, grupo tem apoio até no comércio do bairro para sair da vida sedentária

Thailla Torres
Exercícios são feitos ao ar livre duas vezes na semana e tem mudado a vida de moradores. (Foto: MarcioExercícios são feitos ao ar livre duas vezes na semana e tem mudado a vida de moradores. (Foto: Marcio

Quando o assunto é exercício físico, tem gente que acaba torcendo o nariz para a mudança de rotina. Mas para incentivar um melhor condicionamento e aumentar a qualidade de vida de moradores, Márcio Sampaio Costa, de 39 anos, não desiste do incentivo. Educador físico há sete anos, ele é ativo no projeto Viver Legal, um programa de atividade física que acontece de graça para moradores dos bairros Marabá e Estrela do Sul, toda semana.

Márcio também trabalha em duas unidades de saúde e vem fazendo a diferença na vida de quem descobriu o quanto, a ginástica pode ser transformadora. "Dou aula para quase 60 pessoas em cada praça. É o tipo de exercício que a gente chama de tratamento não medicamentoso, por conta da melhora no estado de saúde das pessoas". 

O projeto acontece há três anos e a maioria fica sabendo quando vai ao posto de saúde. Por recomendação médica ou não, o grupo está sempre aberto para novos alunos. Basta chegar e se dedicar aos exercícios aeróbicos, que são passados pelo educador físico.

Grupo de ginástica se encontra duas vezes na semana.Grupo de ginástica se encontra duas vezes na semana.

O resultado, Márcio ouve nos relatos em cada aula de ginástica. "Temos jovens e idosos na turma, mas principalmente os mais velhos, são quem contam a melhora na pressão alta, colesterol e até o diabetes. Além da disposição física. Nós temos idosos que nunca tinham feito exercícios e agora correm mais de 20 km por dia", conta.

Com o tempo, a ginástica também foi aproximando moradores e ganhando apoio mesmo de quem ficou de fora. Um exemplo é o proprietário de uma farmácia no Estrela do Sul que desde o início do projeto, doa camisetas para o grupo se exercitar. "Foi uma maneira que eu encontrei de contribuir e fortalecer esse grupo", diz o dono da farmácia, Tales Freire, de 25 anos. 

Apesar da necessidade de clientes, para ele é uma satisfação ver os moradores mudando de vida. "Aqui um precisa do outro e o exercício físico muda o estado de espírito, com isso a gente também conquista uma relação bacana com a população do bairro", afirma.

Há dois anos participando do projeto, Maria Joana Borges dos Santos descobriu o quanto podia ser doloroso continuar com a vida sedentária. "Eu sentia muita dor na coluna e vivia indo no médico. Até que resolvi começar a frequentar lá na praça", conta a empregada doméstica de 68 anos. 

O resultado longe do exercício foram meses sem conseguir trabalhar e depois uma forte indisposição. "A gente vai ficando mais velha e perde a vontade de fazer tudo", afirma. 

Quando iniciou a ginástica na praça, muita coisa mudou na rotina. "Minha saúde mudou e eu me fortaleci. Eu sentia muitas dores, hoje eu volto do exercício com outra cabeça e por isso vou duas vezes na semana", conta. 

Além da qualidade de vida, Maria percebe que o clima entre moradores fica mais harmonioso. "A gente ficou um bom tempo abandonado no Estrela do Sul. Hoje tendo um professor com a gente, todo mundo quer participar e só acontecem coisas boas", comemora.

Quem quiser participar, as aulas de ginástica acontecem na praça do bairro Estrela do Sul, toda segunda, quarta e sexta-feira. No Marabá, é toda terça e quinta-feira. Sempre das 6h45 às 8h45. 

Curta o Lado B no Facebook.

 




imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.