A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 18 de Outubro de 2019

19/03/2017 07:25

Feirinha ensina onde e como usar as plantas que você descartaria facilmente

Paula Maciulevicius
Feirinha tinha tudo orgânico e ainda ensinava como e onde usar. (Foto: Paula Maciulevicius)Feirinha tinha tudo orgânico e ainda ensinava como e onde usar. (Foto: Paula Maciulevicius)

Plantas comestíveis não convencionais. Aprenda este nome e se atente quando descartar a ideia de comprar algo só porque não sabe como aproveitar. No restaurante Recanto das Ervas, o final de semana foi de feirinha orgânica com palestra para ensinar a usar na cozinha aquilo que facilmente você não compraria.

Se tem uma coisa que o Lado B gosta é de acompanhar a paixão da dona do Recanto pelas ervas e sabores. Márcia Chiad estuda, se dedica e gosta de oferecer variedade de alimentação saudável a quem lhe bater à porta.

"Eu me apaixonei e a alimentação da gente anda tão pobre. As pessoas vão ao mercado e compram alface, tomate e cebola porque não sabem comer outra coisa", avalia Márcia.

Maços e produtos ficaram à disposição dos clientes. (Foto: Recanto das Ervas)Maços e produtos ficaram à disposição dos clientes. (Foto: Recanto das Ervas)
Plaquinha sinalizava o que era cada erva ou planta. (Foto: Recanto das Ervas)Plaquinha sinalizava o que era cada erva ou planta. (Foto: Recanto das Ervas)

Junto de fornecedores, como pequenos produtores, ela ofereceu tudo orgânico separado em maços e peças. "Olha isso, é um umbigo de bananeira, às vezes a pessoa pode até ter na chácara, mas corta fora e isso na Tailândia é iguaria", defende Márcia.

O umbigo da bananeira é aquela parte que as pessoas costumam cortar fora para fortalecer o crescimento da fruta. Por dentro, o que não virou banana tem gosto de palmito, é fonte de vitamina e barquinha pode servir saladas e aperitivos num jantar, por exemplo.

"Separamos tudo o que a gente usa nos nossos pratos. Você consumir um produto orgânico quer dizer que ele vem de perto, não viaja, não polui o Meio Ambiente. Tudo isso faz parte, não é só não ter agrotóxico", explica Márcia. Para conseguir o selo de orgânico, a legislação engloba até a forma como os funcionários daquela empresa são tratados.

Como orgânico agora é moda, a preocupação de Márcia é de que forma as pessoas estão identificando e usando o que se compra como tal. "Antigamente a gente identificava se fosse feio e pequenininho. Só que hoje em dia não é mais assim. Tem toda uma técnica para ser produzida", descreve. 

Umbigo da bananeira é iguaria lá fora. (Foto: Paula Maciulevicius)Umbigo da bananeira é iguaria lá fora. (Foto: Paula Maciulevicius)
Barquinha pode servir salada. (Foto: Paula Maciulevicius)Barquinha pode servir salada. (Foto: Paula Maciulevicius)
Por dentro, o que não virou banana tem gosto de palmito. (Foto: Paula Maciulevicius)Por dentro, o que não virou banana tem gosto de palmito. (Foto: Paula Maciulevicius)
Da taioba, se tira o talo e refoga como couve, indica Márcia. (Foto: Paula Maciulevicius)Da taioba, se tira o talo e refoga como couve, indica Márcia. (Foto: Paula Maciulevicius)

Taioba - Com ela se pode fazer bolinho ou usar refogada, como couve. O sabor, Márcia explica, é bem diferente, mas é preciso saber usar. "Você tem que tirar esse talo aqui, tem gente que fala 'eu comi e não gostei, achei amargo'", exemplifica Márcia. 

Rica em vitamina A, C e E, ela ainda tem alto teor de ferro, dá sensação de saciedade e ajuda no processo de emagrecimento. 

Capim limão - As pessoas começaram a fazer chá e agora estão no suco, mas ainda não aproveitam o talo. "A gente pica e usa na salada, faz molhinho e ele tem propriedades medicinais, como ser digestivo e antifúngico", explica Márcia. 

Hortelã do Norte - Com cheiro mais acentuado, é perfeita para molho pesto junto ao manjericão e também é expectorante. 

"Nossa ideia é divulgar coisas para que as pessoas possam enriquecer a alimentação. Elas não compram muitas vezes porque não sabem o que fazer e hoje o mundo está tão pesado, tão difícil. Por que não voltar para o simples? A gente precisa", resume Márcia.

Acompanhe o cronograma de palestras e cursos do Recanto das Ervas pelo Facebook e Instagram.

Curta o Lado B

Talo do capim limão pode virar molhinho ou incrementar salada. (Foto: Paula Maciulevicius)Talo do capim limão pode virar molhinho ou incrementar salada. (Foto: Paula Maciulevicius)
Hortelã do Norte é mais forte e cai perfeitamente bem no molho pesto. (Foto: Paula Maciulevicius)Hortelã do Norte é mais forte e cai perfeitamente bem no molho pesto. (Foto: Paula Maciulevicius)
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.