ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  20    CAMPO GRANDE 32º

Faz Bem!

Mudança de temperatura aumenta casos de gripe em felinos

Veterinário ressalta importância de vacinar os gatos e tutores estarem atentos aos sintomas

Por Natália Olliver | 26/05/2024 09:58
Gripe felina é tratável, mas pode ser transmitida atraves de brinquedos, secreções e saliva de gatos infectados (Foto: Divulgação)
Gripe felina é tratável, mas pode ser transmitida atraves de brinquedos, secreções e saliva de gatos infectados (Foto: Divulgação)

Além da baixa temperatura gerar o aumento de doenças respiratórias, causados pela maior circulação de vírus como resfriado e gripe, o que poucos donos de animais sabem é que o clima também favorece o aparecimento de doenças nos bichinhos. Um desses casos é a gripe felina, cientificamente conhecida como rinotraqueíte viral. Os sintomas são parecidos com os manifestados no homem e também exigem atenção.

O chefe-veterinário da Subea (Subsecretaria do Bem-Estar Animal), Edvaldo Sales, ressalta a importância de vacinar os animais com a polivalente e dos tutores estarem atentos aos sintomas. Segundo ele, os animais podem apresentar espirros, coriza e falta de apetite. Apesar de comum, o vírus tende a afetar os animais com imunidade baixa, mal nutridos ou que já possuem doença preexistente.

“É uma doença altamente contagiosa que afeta principalmente o trato respiratório superior dos gatos. O tratamento é principalmente sintomático, com antivirais. Mas é muito importante observar e manter a hidratação e alimentação dos animais, para que eles consigam uma resposta mais rápida. Antibióticos podem ser prescritos para prevenir ou tratar infecções secundárias”.

A transmissão acontece, principalmente, por contato direto com secreções nasais, salivares e oculares de gatos infectados. O vírus também é transmitido através de objetos contaminados, como tigelas e brinquedos.  De acordo com Edvald, o diagnóstico é geralmente baseado nos sinais clínicos e no histórico do animal.

“Apesar de ser uma doença de fácil contágio, dificilmente o quadro de saúde do animal se agrava, ao ponto de precisar de uma internação”, acrescenta o veterinário.

Freddie, Baunilha, Café e Jacob foram diagnosticados com gripe felina (Foto: Divulgação)
Freddie, Baunilha, Café e Jacob foram diagnosticados com gripe felina (Foto: Divulgação)

O tutor, Beto Araújo,  levou os gatos Freddie, Baunilha, Café e Jacob. O tutor disse que eles começaram a apresentar os sinais e ele logo levou para o cveterinário. “Tenho outros animais em casa, e para preservar os outros deixei eles separados e trouxe assim que pude”.

Vacina- Edvaldo comenta que a vacina polivalente, V3 protege os felinos contra Panleucopenia, Rinotraqueíte e Calicivirose.  Já a V4 inclui proteção contra Clamidiose (infecção bacteriana) e a V5 soma a imunização contra Felv (Leucemia Felina).

 “A vacina para os felinos é um pouco mais cara que a dos cães, por exemplo. Mas para tutores que possuem mais de um animal em um mesmo ambiente, é muito importante para evitar uma proliferação da doença”.

A vacina ainda não é disponível aos tutores na Subea, mas a subsecretaria informou que estuda formas para disponibilizar os imunizantes , principalmente para protetores de animais, de forma gratuita.

Consultas - As consultas na Subea são gratuitas e realizadas as segundas, terças, quintas e sextas-feiras. Ao todo, são distribuídas 15 senhas pela manhã, a partir das 7h30, e 15 senhas pela tarde, a partir das 13h.

O tutor deve ir até a unidade de atendimento, localizada na Rua Rui Barbosa, bairro Vila Alta, com documento com foto, comprovante de residência e o número do NIS atualizado.

 Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias