ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUINTA  28    CAMPO GRANDE 16º

Sabor

Em restaurante na Vila Glória, sushi tem oito centímetros e 1 só já satisfaz

Por Anny Malagolini | 24/06/2013 08:30
"Hot Holl" com 8 cm ao lado de um tipo convencional. (Foto: João Garrigó)
"Hot Holl" com 8 cm ao lado de um tipo convencional. (Foto: João Garrigó)
Sushi mais parece um rocambole. (Foto: João Garrigó)
Sushi mais parece um rocambole. (Foto: João Garrigó)

É fato que comida japonesa virou moda. Por isso, em um ano, o número de casas que oferecem o prato quase dobrou em Campo Grande, são cerca 50. Difícil é ser diferente nesse mar de bandejas com os rolinhos de arroz, peixe cru e algas.

Como não aderiu à onda de rodízio de sushi, o empresário Antônio Cesar Hokama, de 46 anos, depois de morar 10 anos no Japão, implantou um sistema japonês estranho para os moldes de Campo Grande.

No restaurante Wasabi, não tem nada em grande escala, nem combo, mas a surpresa mesmo é o tamanho do sushi. Conhecido como “Santo Hot Holl”, tem 8 centímetros de diâmetro, não ganhou o nome a toa. É tão grande em comparação aos que são oferecidos por aí, que dispensa o uso de hashi e de comer usando na base da mão e guardanapo.

A desvantagem para quem gosta mais do sabor do peixe do que da junção é que o arroz também surge em porção generosa.

O corretor de seguros, Antonio Carlos Eurico, de 51 anos, se tornou cliente fiel, depois que provou. “Como um e fico satisfeito e esse sistema de comprar por unidade é melhor até que combo, diferente”, define.

Tem gente que vai pedindo por unidade e quando vê, o que chega ao prato é quase uma porção de rocambole.

Para quem não sabe, o HotHoll é um sushi frito e normalmente leva salmão e cream cheese no recheio.

Cada um custa R$ 4,50 no restaurante de Antônio Hokama. Há os convencionais, não no tamanho gigante, mesmo assim ainda são maiores que a maioria vendida pela cidade e que "cabe" em uma mordida.

O “granel”, na opinião do dono, é uma forma de degustar ao máximo.  “Rodízio é coisa de brasileiro e acabam pecando na qualidade. Aqui às vezes comem apenas uma unidade, mas saem satisfeitos”.

O restaurante fica na rua Pedro Celestino, 440.