A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018

20/03/2018 07:44

Pastelaria Retrô é homenagem da família ao apaixonado por carros e vinis

Restaurante foi decorado especialmente pelo filho de forma que cada detalhe trouxesse a toma o tema do local

Thaís Pimenta
A família reunida. A tia que ajuda na cozinha, Rose,
Rúbia, Juliana e Rafael. (Foto: Thaís Pimenta)A família reunida. A tia que ajuda na cozinha, Rose, Rúbia, Juliana e Rafael. (Foto: Thaís Pimenta)

A periferia de Campo Grande guarda algumas curiosidades gastronômicas. A mais recente, descoberta pelo Lado B é a Pastelaria Retrô, no bairro Oliveira I, em uma rua que, se você passar rápido, nem nota um dos cantinhos mais charmosos da região. No lugar, cada detalhe carrega um pouquinho da história dos Ruffo Pinto.

A família está no mesmo estabelecimento desde os anos 90, com o mercadinho que foi a fonte de renda do casal com dois filhos. Os paulistanos vieram para Mato Grosso do Sul por conta da transferência de Rocio Macedo Pinto, o pai da família, que era militar da Aeronáutica. Passado algum tempo, o mercadinho se tornou uma pastelaria.

"Eu trabalhava na feira em São Paulo fazendo pastel com meu pai e quando a gente se mudou deu certo momento que o Rocio já estava exausto de trabalho dele e sugeriu, depois de ver uma reportagem na TV de um rapaz que largou tudo pra vender pastel, que abríssemos a pastelaria", disse a mãezona e chef da Retrô, Rosemeire Ruffo Pinto.

A porta, com a foto de Rocio e as memórias da família.(Foto: Thaís Pimenta)A porta, com a foto de Rocio e as memórias da família.(Foto: Thaís Pimenta)

Desde 2013, o cantinho na Rua José Garcia Lopes Filho se tornou a pastelaria da família, que precisou fechar por dois anos justamente por conta do pai, que descobriu um câncer de próstata,e precisou de cuidados, mas infelizmente partiu no ano passado.

No luto, eles  tentaram por nove meses reabrir o espaço, mas cada ida ao local, para reforma, era a dor da saudade que tomava conta. "Foi um processo bem complicado. Cada canto, até hoje, lembra ele", diz Rose.

Finalmente, depois de domar a dor, os filhos e a mãe reabriram o local, com novo nome, honrando o sonho do pai: ter uma pastelaria retrô, unindo a paixão pelos carros clássicos, os vinis e o bom e velho pastel dos Ruffo Pinto.

Bagunça leva tudo dentro e vem decorado dessa forma. (Foto: Thaís Pimenta)Bagunça leva tudo dentro e vem decorado dessa forma. (Foto: Thaís Pimenta)

O filho, Rafael, foi o responsável pela decoração da pastelaria. Ali, cada lustre, cada objeto, cada detalhe foi pensado com muito carinho para homenagear o paizão. A loja, logo na entrada, tem a porta de um Volkswagem TL, com uma montagem da foto de Rocio, como se estivesse dentro do carro. "Aí aqui embaixo a gente colocou várias memórias da família, do mercadinho, da antiga fachada", aponta Rafael.

As receitas são de Rose. Para ela, o segredo do bom pastel é o tempero do recheio e a maneira como é feito. "Quando eu estou fritando, sei o ponto do óleo só de ouvir ele", explica. Os pasteis tradicionais saem a partir de R$ 7, e a sacada mais bacana da Pastelaria Retrô é que o cardápio é do tamanho de cada pastel frito. "Foi ideia do pai também. Ele tem 24 cm por 12 cm", pontua a filha, Rúbia.

O diferencial é que na Retrô o cliente pode escolher o sabor que quer e misturá-los da maneira como bem entender. "Aí cobramos por adicional", completa Rúbia. Sabores doces também são queridinhos no local, em especial o de Nutella, que sai a R$ 7. 

Mas o mais charmoso das opções é o pastel bagunça, com o dobro de tamanho e com tudo dentro, literalmente. De acordo com Rose, ele faz mais sucesso entre as mulheres. "Vem um casal aqui, eles pedem pra dividir um desses mas, quando vamos ver, quem tá comendo tudo é a mulher. O homem fica com os restos", brinca. O bagunça vem decorado de forma muito engraçadinha, imitando a face de uma pessoa com ovos, azeitona e tomate.

O quadro tem a última escrita do pai, Rocio. Ao lado, seu bonézinho mantém viva a presença do pai. (Foto: Thaís Pimenta)O quadro tem a última escrita do pai, Rocio. Ao lado, seu bonézinho mantém viva a presença do pai. (Foto: Thaís Pimenta)
O banheiro é um dos cantinhos mais charmosos.
(Foto: Thaís Pimenta)O banheiro é um dos cantinhos mais charmosos. (Foto: Thaís Pimenta)

O giz que decora as lousas do restaurante, e inclusive dá nome à fachada do espaço, era muito usado pelo pai na antiga pastelaria. "A gente quis manter esse estilo dele", completa Rafael. No caixa, uma lousa com os dizeres "Deus conosco, bem vindo", foi a última coisa que Rocio escreveu e por isso continua ali, em homenagem a ele. "Deixamos o boné dele também, pendurado ali do lado. Papai era um cara que recebia as pessoas pela prosa. Tinha gente que vinha aqui mais pra conversar do que pra comer, então nada mais justo do que manter essas referências".

No banheiro, as referências continuam, com as colagens dos carrões mais clássicos, queridos pelo filho e pelo paizão da família. "Eu fiz questão de deixar em evidências a foto da camionete porque a gente tinha uma dessas e a mamãe fez o pai vender porque era muito grande", brincam os filhos.

Os lustres, muitos deles encontrados na rua pelo pai, foram reformados por Rafael. A doceira na bancada do caixa também. "Esse tá na família desde os anos 80", pontua Rose. A vitrola e a televisão antiguinhas funcionam perfeitamente bem e estão ali porque a ideia é, mais frente, realizar noites do vinil, no qual cada cliente traz o disco que quer ouvir e coloca na vitrola da pastelaria.

Tudo ali foi garimpado para que conseguissem economizar ao máximo na decoração. A sorte colaborou nesse processo: o relógio na parede saiu por 25 centavos e os quadrinhos a mais ou menos R$ 4. 

Cada detalhe deixa claro que tudo só foi possível ali dentro por conta da união da família. Até mesmo os agregados, como a mulher de Rafael, Juliana, apostaram num sonho que, de tão grande, permeia a vida de todos ali até hoje. Os  filhos dividem seu tempo no trabalho fixo para ajudar a mãezona na pastelaria. "A gente sempre quis tocar isso daqui e vamos continuar, reformando o pouquinho que ainda falta pra deixar tudo perfeito", finaliza Rubia.

A Pastelaria Retrô fica na rua José Garcia Lopes Filho, 669, no Oliveira I. O restaurante abre de segunda à sábado, a partir das 19h. Para saber mais acesse o link.

 




imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.