ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  03    CAMPO GRANDE 29º

Sabor

Sarravulho é receita de Kelly para matar saudade de Corumbá

A empresária do ramo de festas aproveitou pandemia para resgatar receita dos pais e vender comida para corumbaenses na Capital

Por Alana Portela | 17/07/2020 06:52
Kelly Neiva segurando o prato com arroz carreteiro, farofa de banana-da-terra , ovo frito e mandioca. (Foto: Bráulio Franco)
Kelly Neiva segurando o prato com arroz carreteiro, farofa de banana-da-terra , ovo frito e mandioca. (Foto: Bráulio Franco)

Mais de sete meses sem visitar Corumbá, Kelly Neiva passou a fazer sarravulho e arroz boliviano para matar saudade da terra natal. Sem festas, a empresária da área de eventos resolveu resgatar as receitas que aprendeu com os pais Valdevino e Miriam Neiva e sentir novamente o gostinho dos pratos que saboreava ao lado da família.

“Sou corumbaense, mas deixei a cidade com 18 anos. Minha família toda está por lá e a última vez que a vi, foi em dezembro de 2019. Cozinhar é uma forma de matar a saudade e remete à minha infância. Quando visitava minha mãe, ela sempre fazia”, diz.

Aos 43 anos, Kelly teve de se reinventar para sobreviver nessa época de pandemia de coronavírus, em Campo Grande. Isso porque, ela atua com organização de eventos e buffet delivery, mas perdeu movimento por conta do vírus e agora passou a vender pratos típicos de Corumbá.

Sarravulho, com carne moída, fígado, coração, calabresa, ervilha e outros ingredientes. (Foto: Bráulio Franco)
Sarravulho, com carne moída, fígado, coração, calabresa, ervilha e outros ingredientes. (Foto: Bráulio Franco)

“Sempre soube fazer. Quando começou a pandemia, me vi numa situação complicada, os boletos não esperam e tenho muita conta para pagar. Comecei a reproduzir pratos e tudo que fazia no meu buffet para vender”.

O isolamento social também mexeu com seu psicológico e a fez sentir falta da família. “Faz muito tempo que não a vejo. Neste ano, estávamos planejando a festa de 70 anos da minha mãe, mas por conta do vírus não realizamos”, comenta.

Foi então que amigos deram a sugestão de Kelly preparar o sarravulho, um tipo de cozido de carne bovina. “É feito com carne moída, fígado, coração, calabresa, azeitona, batata e outros ingredientes. Uma iguaria de lá, muito gostosa”, explica.

A porção de sarravulho vai acompanhada de arroz branco e mandioca cozida. (Foto: Bráulio Franco)
A porção de sarravulho vai acompanhada de arroz branco e mandioca cozida. (Foto: Bráulio Franco)

Saborear novamente o prato trouxe à tona várias emoções e, mesmo a 425 quilômetros de distância, deu para sentir a família perto. O sabor proporcionou conforto e acalmou seu coração, por isso, ela decidiu dar continuidade e vender, para que mais corumbaenses que vivem na Capital possam compartilhar a experiência e o gosto.

“Em Campo Grande tem muitos corumbaenses, mas não é em todo lugar que se encontra comida típica de lá”, destaca. O prato custa R$ 35,00 e de acompanhamento vai arroz branco, mandioca cozida, e serve de duas a três pessoas. A receita também traz a lembrança do pai de Kelly.

“Ele faleceu quando eu tinha dez anos. Mas, recordo que era um excelente cozinheiro. Antigamente, as pessoas o pagavam para fazer o prato nos eventos, casamentos, aniversários. Minha mãe também faz, então virou uma cozinha afetiva”.

Arroz boliviano, com queijo, batata frita, banana-da-terra e ovo. (Foto: Bráulio Franco)
Arroz boliviano, com queijo, batata frita, banana-da-terra e ovo. (Foto: Bráulio Franco)

Após o primeiro teste dar certo, Kelly inseriu no cardápio o arroz boliviano, outra iguaria da terra natal. “Típico da fronteira Brasil/Bolívia. Com arroz, carne moída, queijo, banana-da-terra e batata frita”, explica.

A tentativa de agradar os paladares ainda a fez adicionar ao menu os pratos: Pintado à urucum, Caldo de Piranha, Sopa Paraguaia, Chipa e Bolinho de arroz.

As produções estão sendo realizadas na cozinha da casa onde mora e os pratos estão sendo vendidos por delivery aos fins de semana. “Meu sustento agora está vindo das comidas que faço”.

As encomendas podem ser feitas através dos contatos: (67) 9 9909-5690 (WhatsApp), (67) 3211-6913 ou pelo (67) 9 9174-5345.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Outro prato do menu: Arroz carreteiro, com ovo, farofa e tem até mandioca cozida com pedaços de bacon. (Foto: Bráulio Franco)
Outro prato do menu: Arroz carreteiro, com ovo, farofa e tem até mandioca cozida com pedaços de bacon. (Foto: Bráulio Franco)