ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 22º

Lado Rural

Com celulose e carne em destaque, exportações de MS chegam a US$ 3,13 bi

Por José Roberto dos Santos | 10/05/2024 13:15
Sala de desossa de frigorífico sul-mato-grossense; aumento das exportações é reflexo da abertura para o mercado chinês. (Foto: Arquivo/Semadesc)
Sala de desossa de frigorífico sul-mato-grossense; aumento das exportações é reflexo da abertura para o mercado chinês. (Foto: Arquivo/Semadesc)

As exportações de Mato Grosso do Sul – no acumulado de janeiro a abril de 2024 – totalizaram US$ 3,134 bilhões, tendo a celulose, carne bovina, farelo de soja, açúcar e minério de ferro como principais destaques positivos. A oscilação dos preços no mercado internacional, entretanto, fez com que o valor total exportado pelo Estado no primeiro quadrimestre do ano ficasse 2,2% menor em relação ao mesmo período de 2023.

Os dados são da Carta de Conjuntura do Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul (Abril/2024), publicada pela Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação).

Apesar do recuo nas exportações, o saldo da balança comercial sul-mato-grossense no primeiro quadrimestre de 2024 acumula um superávit de US$ 2,195 bilhões, marcando um aumento de 3,2% em comparação com o mesmo período no ano de 2023. Nas importações, houve uma redução de 12,9%, totalizando US$ 938 milhões no acumulado do ano. O gás natural representa 45,59% do total importado pelo Estado, seguido por adubos (7,48%) e cobre (6,65%).

Dos 10 principais produtos da pauta de exportações, 5 apresentaram alguma queda, como a soja, o milho, ferro-gusa, cortes de aves congelados e gorduras/óleos vegetais. Apresentaram um aumento em termos de volume, a celulose (26,01%); carne bovina (23,57%); farelo de soja (19,21%); açúcar (48,22%) e minério de ferro, 76,76%.

Celulose em fábrica de MS pronta para o embarque; em volume, a exportação do produto cresceu 26%. (Foto: Arquivo/Semadesc)
Celulose em fábrica de MS pronta para o embarque; em volume, a exportação do produto cresceu 26%. (Foto: Arquivo/Semadesc)

“Na soja, nós tivemos nesse período uma queda de 6,77% nas exportações, que se explica especialmente pelos preços no mercado internacional. Por mais que a soja tenha elevado as exportações em termos de tonelagem ao longo do ano, os preços praticados nas operações com o grão estão muito abaixo em relação aos do ano passado. Apesar disso, a soja foi o produto mais exportado, com um acumulado de mais de 2,5 milhões de toneladas até o mês de abril”, analisa o secretário Jaime Verruck, da Semadesc.

Para Verruck, uma boa surpresa é o aumento das exportações de carne bovina, "o que já sinaliza o resultado da abertura dos nossos frigoríficos para o mercado chinês", pontua;

China segue como principal destino 

A China segue como o principal destino dos produtos sul-mato-grossenses, absorvendo 46,19% das exportações; seguida pelo Estados Unidos (5,17%) e Países Baixos (4,96%). “Nesse período, a Indonésia registrou um aumento de 161,8%, junto com Emirados Árabes Unidos, que possui um aumento de 190,2%, ambos comparados com o mesmo período de 2023”, informa o titular da Semadesc.

Em âmbito regional, o município de Três Lagoas segue como o maior exportador de Mato Grosso do Sul, com cerca de 23,10% de participação dos valores totais exportados. Uma alta de 24,21% em relação ao acumulado de janeiro a abril do ano passado. O município de Naviraí aparece com 47,61% de variação em comparação com o mesmo período de 2023.

* Com informações da Semadesc.

Nos siga no Google Notícias