ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 29º

Lado Rural

Conab projeta para MS queda de 8% na safra de grãos 2023-2024

Estado deve fechar safra com 25,7 milhões de toneladas produzidas, contra 28 milhões do ciclo anterior

Por José Roberto dos Santos | 10/01/2024 11:55
Lavoura de soja cultivada na Estância Santa Rita, às margens da BR-262 em Campo Grande. (Foto: José Roberto dos Santos)
Lavoura de soja cultivada na Estância Santa Rita, às margens da BR-262 em Campo Grande. (Foto: José Roberto dos Santos)

Mato Grosso do Sul deve colher na atual safra de grãos em andamento cerca de 25,7 milhões de toneladas. A estimativa é da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), que publicou hoje o 4º Levantamento da Safra. O total a ser produzido pelo Estado representa 2,3 milhões de toneladas a menos que no ciclo anterior, quando o MS demarcou a produção de 28 milhões de toneladas – a maior parte de soja, com cerca de 15 milhões de toneladas. A queda calculada pela Companhia de Abastecimento é de 8,3%.

No 3º levantamento da safra, publicado em dezembro de 2023, a previsão de queda na produção de grãos de MS era de 7,2%. A redução nos resultados é debitado às más condições climáticas, como chuva escassa ou em excesso em alguns locais, somada às altas temperaturas que obrigaram o Estado a replantar cerca de 107 mil hectares de soja, a principal cultura do Estado. Segundo boletim do Siga-MS (Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio), o Estado tem 10% de sua área plantada considerada como "regular".

Área plantada X produtividade

Apesar do aumento de 2,5% na área plantada com grãos em Mato Grosso do Sul – 6,3 milhões de hectares em 2022-23 para 6,4 milhões no atual ciclo – o Estado vai sofrer uma quebra de 10,6% na produtividade em geral, principalmente nas culturas mais destacadas como soja e milho. Por conta do mau tempo, na projeção da Conab, o MS vai cair de 4.438 mil quilos por hectares para 3.970 kg/ha.

A Conab entende que o quarto levantamento de safra de grãos sustenta a assertiva de que a safra 2023/24 tem a característica de ser uma das mais complexas para a estimativa de área, produtividade e produção nos últimos tempos. As dificuldades podem ser resumidas nos problemas climáticos, que geram incertezas e prejudicam a tomada de decisão pelos produtores.

Milho e soja

Na régua da Conab, o milho segunda safra em Mato Grosso do Sul – que é a principal safra no Estado – terá 14,3% de queda na produção, reflexo da área plantada 3,7% menor e na produtividade 14,3% menor que no ciclo passado.

A soja obedece a mesma dinâmica, o que resultará em queda de 12,8% na produtividade e consequente quebra de 11,8% na produção da oleaginosa.

Em Mato Grosso do Sul o prazo do plantio da soja foi prorrogado por 20 dias e vai até o dia 13 de janeiro. Até agora, o MS registrou 5 ocorrências (4 em Laguna Carapã e uma em Iguatemi) da ferrugem-asiática, doença que ataca a planta e pode reduzir até 90% da produtividade. A colheita da soja já começou, ainda de forma tímida, pelo município de Douradina, sul do Estado.

Nos siga no Google Notícias