ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 33º

Lado Rural

Intempéries climáticas frustram expectativas de safra recorde do milho em MS

Mesmo com aumento na área plantada, colheita não deve ultrapassar 6,285 milhões de toneladas

Por Jhefferson Gamarra | 28/07/2021 12:56
De acordo com a Semagro, mais de 56% da safra já foi comercializada (Foto: Divulgação)
De acordo com a Semagro, mais de 56% da safra já foi comercializada (Foto: Divulgação)

A safra do milho 2020/2021, em Mato Grosso do Sul, não deve atingir o recorde projetado para o ano. De acordo com a Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), era esperado um volume superior a 9 milhões de toneladas, o que representa 5,7% a mais em relação à safra do ano passado.

Mesmo com aumento de 2,003 milhões de hectares na área plantada, a estimativa foi recalculada para 6,285 milhões de toneladas. A estiagem na fase de desenvolvimento das plantas, em seguida, chuvas de granizo e uma forte geada no momento em que as espigas começavam a granar, derrubaram a previsão inicial de produtividade.

Apesar da frustração, até o fim da semana passada, a colheita do grão avançou 4,1% nas lavouras de Mato Grosso do Sul.  Como as espigas estão maduras, as geadas previstas para os próximos dias não devem afetar a produtividade.

De acordo com o boletim Siga (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio), coordenado pela Semagro, cerca de 56,60% da colheita estão vendidos, porém, devido as intempéries climáticas, as lavouras não vão entregar o volume estimado e, em alguns casos, será necessário renegociar os contratos.

A diminuição na colheita do grão será em toda cadeia econômica que usa o milho e seus derivados, como granjas de suínos e aves, que precisam trazer o produto de fora para suprir a falta no mercado interno. No auge da safra do ano passado, a saca de 60 quilos do milho estava cotada em média a R$ 27,00. Nesse ano, já ultrapassa R$ 88,00.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário