ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, TERÇA  07    CAMPO GRANDE 28º

Lado Rural

Tereza Cristina é listada pela Forbes entre as 100 mais poderosas do agro

Além da ministra, a outra sul-matogrossense listada é a líder sindical e ruralista Edy Elaine Tarrafel

Por José Roberto dos Santos | 18/10/2021 11:58
Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias licenciou-se do cargo de deputada federal em 2019 para assumir o Ministério da Agricultura. (Foto: Agência Brasil)
Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias licenciou-se do cargo de deputada federal em 2019 para assumir o Ministério da Agricultura. (Foto: Agência Brasil)

No dia 15 de outubro, quando foi comemorado é Dia Internacional da Mulher Rural, instituído pela ONU (Organização das Nações Unidas), em 1995, com o intuito de elevar a consciência mundial sobre a importância dessa figura feminina como protagonista nas mudanças econômicas, sociais, ambientais e políticas, a Forbes Brasil aproveitou a data para lançar sua primeira lista “100 Mulheres Poderosas do Agro”, com nomes que estão transformando diferentes segmentos do setor.

A Forbes é uma das mais conceituadas revistas de negócio e economia do mundo.

De Mato Grosso do Sul, foram destacadas três dessas mulheres: a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, a líder sindical rural Edy Elaine Tarrafel e a pecuarista Adriane Lermen Zart.

Na lista, segundo informações da Forbes Brasil, procurou-se selecionar representantes do movimento de mudança no campo. Por meio delas, o objetivo é homenagear as demais mulheres que atuam no agronegócio – mesmo que o trabalho seja realizado a partir das cidades.

Para chegar aos 100 nomes, a Forbes Brasil foi a campo pesquisar, perguntar, buscar orientação de lideranças e também resgatar informações de reportagens especiais. São mulheres que se destacam em diferentes setores do agronegócio: elas estão presentes na produção de alimentos de origem vegetal e animal, na academia, na pesquisa, nas empresas, em food techs, em consultorias, em instituições financeiras, na política, nas entidades e nos grupos de classe e, mais do que nunca, nas redes sociais.

Tereza Cristina – Tereza Cristina Correa da Costa Dias é engenheira agrônoma e trabalhou por dez anos na propriedade da família, em Mato Grosso do Sul, antes de iniciar sua vida política. À frente da pasta desde 2019, ela tem marcado seu trabalho pela abertura de novos mercados para os produtos brasileiros, a integração da agricultura familiar nas políticas de agro e a preparação do país para encontros internacionais, como a COP-26 em novembro. Foi secretária de Desenvolvimento Agrário, Produção, Comércio, Indústria e Turismo de MS, quando foi criada a ZAV (Zona de Alta Vigilância) para combater a febre aftosa na região da fronteira de MS com o Paraguai e Bolívia.

Licenciou-se em 2019 do mandato de deputada federal na legislatura 2015-2019, para assumir o cargo de ministra do atual governo do presidente Jair Bolsonaro.

Edy Tarrafel assumiu os negócios da família em 1998, aos 20 anos de idade. Foto: Reprodução
Edy Tarrafel assumiu os negócios da família em 1998, aos 20 anos de idade. Foto: Reprodução

A pecuarista sul-mato-grossense Edy Elaine Tarrafel é presidente dos sindicatos rurais dos municípios de Ivinhema e Novo Horizonte. Na pecuária, assumiu a propriedade da família quando tinha 20 anos de idade, em 1998. A presidência do sindicato também veio cedo, em 2002, tornando-se a primeira mulher no estado a assumir esse tipo de instituição. Hoje, é uma liderança na sua região. Em seu currículo como líder sindical consta também a passagem por várias gestões da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul).

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Adriane Lermen Zart – é médica veterinária, mestre em ciência animal e uma das maiores difusoras da técnica Nada nas Mãos, manejo que promove o bem-estar animal ao resgatar a relação de confiança entre humanos e bovinos. A técnica foi criada pelo veterinário brasileiro, Paulo Loureiro, que atua nos Estados Unidos e prega justamente a lida animal sem a utilização de varas ou ferros, mas apenas se movimentando para que o animal também se desloque sem estresse. Zart, que é formada pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) está mudando o cenário das fazendas de gado no Brasil.

*Editado às 18:05 para acréscimo de informações

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário