ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 24º

Meio Ambiente

A maritaca que ficou presa e parou moradores durante resgate

Com a alça de uma sacola plástica presa em uma das pernas, o pássaro ficou em cima de uma árvore desde ontem

Por Nícholas Vasconcelos e Helton Verão | 27/02/2013 18:05
Resgate da maritaca parou rua Abrão Júlio Rahe nesta quarta. (Foto: Pedro Peralta)
Resgate da maritaca parou rua Abrão Júlio Rahe nesta quarta. (Foto: Pedro Peralta)
Depois que cordão de sacola foi retirado, ave foi levada para o Cras. (Foto: Pedro Peralta)
Depois que cordão de sacola foi retirado, ave foi levada para o Cras. (Foto: Pedro Peralta)

O resgate de uma maritaca mobilizou na tarde de hoje o Corpo de Bombeiros e moradores do bairro Santa Fé, em Campo Grande. O pássaro ficou desde ontem preso em uma árvore, com a alça de uma sacola na pata.

Moradores da rua Abrão Júlio Rahe acompanharam toda a operação dos Bombeiros e também das outras aves do bando.

“Os companheiros levaram comida e tentaram resgatá-la”, conta emocionada a dona de casa Amélia Marques, 60 anos. Ela chegou a preparar uma papinha para dar para o bicho.

Amélia e os outros moradores ficaram impressionados com o companheirismo das aves, que não saíram do entorno da árvore onde a maritaca se abrigou.

“Não sabia que os amigos dele eram tão próximos assim, como a natureza é bela”, dizia Cira Maria da Costa, 54 anos, corretora.

Ela e os outros moradores contam que ligaram para o Cras (Centro de Recuperação de Animais Silvestres), PMA (Polícia Militar Ambiental) e Bombeiros desde a terça-feira.

As primas Giovana Letteriello, 32 anos, e Lorane Letterielo, 32 anos, chegaram a pensar que o animal havia morrido depois de enfrentar sol e a chuva da tarde de hoje, mas recobraram as esperanças quando viram ele se mexendo.

“A natureza é muito bonita e a gente fica feliz de ter resolvido bem”, comentaram. Chorando no momento do resgate, as duas dizem que cancelaram os compromissos para acompanhar o salvamento.

Toda operação exigiu o trabalho de oito militares e o cabo Antonio conta que este tipo de resgate é frequente na Capital. “É uma operação que exige grau de dificuldade”, revelou.

Depois de tirar a maritaca do alto da árvore, os Bombeiros pensaram em soltar ela ali mesmo, mas o inchaço provocado pela alça da sacola impedia que ela movimentasse a pata. Eles então levaram a ave para o Cras com a promessa de que depois de recuperada, ela será devolvida ao grupo.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário