ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  20    CAMPO GRANDE 19º

Meio Ambiente

Campanha abre o "quartinho da bagunça" e até vitrola vai parar na reciclagem

Em um dia, a ação de coleta de lixo eletrônico já conseguiu fechar um caminhão-baú com objetos

Por Nyelder Rodrigues e Caroline Maldonado | 13/10/2021 13:04
Aparelho que fez sucesso nos anos 80 e 90 une tocador de discos de vinil, tocador de fitas cassete e rádio AM/FM. (Foto: Marcos Maluf)
Aparelho que fez sucesso nos anos 80 e 90 une tocador de discos de vinil, tocador de fitas cassete e rádio AM/FM. (Foto: Marcos Maluf)

O boom tecnológico fez muita coisa nova surgir abruptamente nos anos 80 e 90, mas também se tornar em pouco tempo ultrapassado, como a vitrola eletrônica da foto que abre essa matéria - e que serve também como rádio AM/FM e toca-fitas. São coisas que, no final das contas, vão parar naquele quartinho da bagunça.

E é dali, desse quartinho mesmo, que saem muitas das peças raras encontradas nos pontos de arrecadação do que para muitos virou "lixo eletrônico" em Campo Grande - que até sexta-feira (15), recebe campanha de coleta de eletroeletrônicos já sem utilidade para seus donos.

A ação é realizada pela Abree (Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos), com apoio da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), em pontos espalhados pela cidade.

Iniciada ontem (12), a iniciativa já conseguiu somar um caminhão-baú de lixo eletrônico descartado com peças que vão desde a vitrola citada até calculadoras antigas e gabinetes dos bons e velhos computadores desktop.

"O pessoal deixa todo esse material, TVs, toca-discos, toca-fita, tudo guardado naquele quartinho em casa, mas fica ali por muito tempo e não sabem o que vão fazer", conta Quironio Ramalho, agente comercial da empresa Colecta, responsável por fazer a coleta da campanha. "Mas também tem gente que traz outras coisas", completa.

Empresa já conseguiu encher um caminhão-baú, que vai levar os materiais para a correta destinação em São Paulo. (Foto: Marcos Maluf)
Empresa já conseguiu encher um caminhão-baú, que vai levar os materiais para a correta destinação em São Paulo. (Foto: Marcos Maluf)

Entre esses aparelhos descartados, estão geladeiras e até máquina de lavar. Contudo, a maior parte dos itens levados são mesmo televisões e impressoras. Apesar disso, Ramalho frisa que há também muitos materiais que podem ser reutilizados.

"A quantidade que conseguimos aqui é muito boa, considerado que foi um feriado. Percebemos que o pessoal de mais idade é que está trazendo mais materiais, enquanto os mais jovens, por enquanto, não aparecem tanto", diz o agente.

O que é ali arrecadado é levado para São Paulo (SP), onde será tudo separado e feita a correta destinação. Entre os principais materiais encontrados, estão bronze, cobre, ferro e até ouro, poderoso e um dos melhores condutores elétricos.

Televisor já sem uso é descartado e recolhido pela equipe que realiza a ação em diversos pontos da cidade. (Foto: Marcos Maluf)
Televisor já sem uso é descartado e recolhido pela equipe que realiza a ação em diversos pontos da cidade. (Foto: Marcos Maluf)

"Essa ação tem um caráter educativo também e serve para que as pessoas possam perceber que muitos equipamentos que elas tem em casa podem ser descartados corretamente", opina o chefe da Semadur, Luiz Eduardo Costa.

Em sua fala, Costa fez questão de lembrar que além dos drive-thrus momentâneos abertos até sexta, a cidade conta com ecopontos abertos diariamente para receber tais tipos de descartes. Em média, segundo ele, 100 campo-grandenses passam pelos ecopontos para fazer descartes de diversos materiais, além de eletroeletrônicos.

"Há cidades que não têm essas estratégias de coleta de materiais eletrônicos e sofrem diversos prejuízos. Primeiro vem o impacto ambiental na fauna, flora, rios e depois financeiro, para recuperar ou remediar o estrago feito", conclui.

Nem só TVs são encontrados em meio ao lixo eletrônico: há também computadores antigos, impressoras e até calculadoras. (Foto: Marcos Maluf)
Nem só TVs são encontrados em meio ao lixo eletrônico: há também computadores antigos, impressoras e até calculadoras. (Foto: Marcos Maluf)

Locais - Os drives vão funcionar em locais espalhados por regiões distintos de Campo Grande até a próxima sexta-feira (13). Um desses pontos, é o estacionamento da CAC (Central de Atendimento ao Cidadão), na que fica na Rua Marechal Cândido Mariano Rondon, 2655, esquina com a Rua Arthur Jorge.

Já os outros locais são o CEA (Centro de Educação Ambiental) Anhanduí, localizado na Avenida Vereador Thyrson de Almeida, Guanandi II e o Parque Ecológico do Sóter, próximo à Rua Rio Negro, na Mata do Jacinto. Por fim, ainda há o ponto localizado na Praça do Papa, que fica na Avenida Crisântemos, na Vila Sobrinho.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário