A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Abril de 2019

22/03/2019 17:25

Cheia se repete e trilha submersa volta a ser atração em Jardim

Essa seria a quarta vez que o fenômeno acontece e permite a flutuação de turistas

Danielle Valentim
Imagens voltam a impressionar. (Foto: Instagram)Imagens voltam a impressionar. (Foto: Instagram)

Há um ano, imagens da cheia da nascente do rio Olho D'água, na cabeceira do Rio da Prata, em Jardim, a 233 km de Campo Grande, tiravam o ar de internautas e impressionavam turistas. Nesta semana, a cena se repetiu e visitantes foram presenteados com a trilha submersa.

A reportagem obteve a informação em publicação no Instagram, mas o perfil oficial da cidade de Bonito retirou a gravação do ar. Horas depois, a publicação original passou a circular no WhatsApp. A descrição do vídeo informa que ele foi gravado no dia 21 de março de 2019 pelo colaborador do Recanto Ecológico Rio da Prata, Bruno Rocha. 

“As águas continuaram cristalinas no rio Olho D'Água, local onde acontece o passeio de flutuação no Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS), apesar das chuvas que a atingiram a região nos últimos dias(sic)”, informou a legenda.

A publicação que não está mais aberta ao público explica sobre a importância da sua mata ciliar conservada e protegida por uma Reserva Particular do Patrimônio Natural - RPPN, um tipo de Unidade de Conservação.

Não foi a chuva - Quando chove muito, o rio da Prata enche, ocasionando o represamento e aumentando assim o nível de água do rio Olho D'Água. Contudo o episódio de enchente e trilha submersa que ocorreu no dia 21 de março não teria ocorrido por excesso de chuvas.

“Nosso monitoramento demonstra que a pluviometria registrada nos banhados no mês de março não foi suficiente para ocasionar uma enchente, pois ocorreram dias de intervalo entre as chuvas. A enchente atual ocorreu, pois os banhados, que deveriam atuar como grandes esponjas naturais retendo o excesso de chuvas e as liberando gradualmente nos períodos secos, não cumpriram seu papel. Os vídeos foram feitos em três locais no Recanto Ecológico Rio da Prata: no Vulcão, na nascente da Madona e na ponte onde a trilha cruza o rio olho D'Água(sic)”, descreveu a legenda.

Veja abaixo os números registrados:
05/03: 4mm
09/03: 41mm
10/03: 5mm
11/03: 5mm
12/03: 5mm
13/03: 5mm
14/03: 50mm
17/03: 50mm
20/03: 58mm

Tem de ter sorte - O fenômeno na Nascente Olho D'Água é influênciada pela cheia de outros dois rios. A nascente desaguá no Rio da Prata e o Rio da Prata, no Rio Miranda. Como os outros fluxo estão cheios, a água da nascente não para de sair do solo e se mantém represada.

Para flagrar um momento desse é preciso ter sorte. Basta a chuva ir embora para que, em algumas horas, o nível da água volte ao normal.

A flutuação no Rio da Prata, que também conta com trilha, tem valor inicial de R$ 256,00. No entanto, agências de Jardim e Bonito vendem o passeio. Confira lista.

A informação é de que o vídeo teria sido gravado no dia 21 de março. (Foto: Reprodução)A informação é de que o vídeo teria sido gravado no dia 21 de março. (Foto: Reprodução)

Essa é a quarta vez que o fenômeno vira atração devido à clareza da água. A primeira foi registrada em fevereiro de 2010, a segunda em fevereiro de 2017 e a terceira em fevereiro de 2018. O registro, feito no dia 2 de fevereiro de 2018, impressionou devido à beleza e rendeu milhares de compartilhamentos na internet.

À época, a situação impressionou até mesmo quem já estava acostumado com passeios de flutuação em rios da região. Em 16 anos de atuação no turismo, a guia Maria Cenir Scherer, de 58 anos, ficou impressionada. "Fica tudo diferente, costumo falar que é outro mundo porque por onde você passa caminhando no seco, fica tudo alagado e a gente consegue ver tudo com clareza, tanto a trilha, como a vegetação", revelou.

Assista ao vídeo gravado no dia 21 de março:



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions