ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 17º

Meio Ambiente

Condomínio cerca lago e revolta defensores de capivaras que sofrem com choques

Por Francisco Júnior | 11/06/2013 10:33
Lago que fica dentro do condomínio. (Foto: Divulgação)
Lago que fica dentro do condomínio. (Foto: Divulgação)

Capivaras estão levando choque elétrico ao tentarem entrar no lago artificial que fica dentro do condomínio Damha 1, localizado na saída na saída para Três Lagoas, em Campo Grande.

De acordo com um funcionário do condomínio, que não quis se identificar com medo de represálias, o lago foi fechado com a cerca para evitar que os animais entrem no local.

Segundo ele, a descarga elétrica é tão forte que os animais chegam a desmaiar. “Dá a maior dó dos filhotes. Isso é um absurdo, alguém tem que tomar uma providência”, alerta o funcionário, ressaltando que a crueldade é vista principalmente no fim da tarde.

O condomínio de luxo fica ao lado da APA (Área de Preservação Ambiental) Lageado, região do bairro Maria Aparecida Pedrossian. Na área, se concentra um grande número de roedores dessa espécie, que entram no residencial pelo córrego Lageadinho.

A denuncia foi encaminhada para o Conselho Municipal de Meio Ambiente, que está apurando o fato. O vereador Eduardo Romero (PTdoB) informou que também recebeu a denuncia e que hoje irá até o condomínio para ver o que está acontecendo. “Vamos ver se isto realmente acontece. Se for verdade vamos acionar os órgãos ambientais”, informa.

O caso ganhou repercussão nas redes sociais. A capivara é um dos símbolos da cidade, sendo encontrada em vários pontos: como Altos da Avenida Afonso Pena e Lago do Amor, na região da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).

A Associação dos Morados do Damha 1 confirmou a instalação da cerca em volta do lago, mas negou que ela seja energizada. A entidade explica que a cerca é semelhante a colocada em fazendas, apenas repele os animas sem causar ferimentos.

A associação informa ainda que a medida foi tomada após o aparecimento de um grande número dos roedores, que destruíram jardins e invadiram residências do condomínio.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário