ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  14    CAMPO GRANDE 21º

Meio Ambiente

Ibama confirma correição em MS e decreta silêncio até apuração acabar

Por Marta Ferreira | 18/10/2011 12:55

Direção do órgão disse que, por enquanto, não vai comentar suspeitas de irregularidades na criação de jacarés envolvendo funcionários

Sede do Ibama em MS: após operação da Polícia Federal, correição extraordinária determinada pela direção nacional.
Sede do Ibama em MS: após operação da Polícia Federal, correição extraordinária determinada pela direção nacional.

A direção nacional do Ibama (Instituto Brasileio de Meio Ambiente e Recursos Renováveis) confirmou nesta manhã a instauração de correição extraordinária na superintendência do órgão em Mato Grosso do Sul, para apurar denúncia de irregularidades envolvendo funcionários do órgão. Ontem, foi demitido o engenheiro agrônomo David Lourenço, que ocupou o cargo de superintendente do Ibama no Estado por três anos e meio.

A demissão de David ocorreu em meio a uma investigação da Polícia Federal envolvendo o criadouro de jacarés e a pousada do funcionário aposentado do órgão Gerson Zahdi, 64 anos. Ele atuou durante anos no setor que fiscaliza empreendimentos envolvendo a criação de animais no Estado e, quando se aposentou, estava lotado no gabinete do superintendente.

Em resposta a e-mail sobre o assunto enviado pelo Campo Grande News, o Ibama informa que não comentará a investigação do próprio órgão nem a da PF.

Ainda conforme o órgão, a saída de David faz parte de uma reestruturação do órgão. “Este ano já houve alterações no comando das superintendências de Goiás, São Paulo, Piauí e Paraíba”, afirma o texto.

David, ao falar de sua demissão ontem, disse que ela foi consequência da investigação da PF e atribuiu a informação ao presidente do Ibama, Curt Trennepohl. Segundo ele, a demissão foi comunicada por telefone e na conversa o presidente do Ibama afirmou que as denúncias provocaram instabilidade política.