ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 30º

Meio Ambiente

Julgamento de recurso que suspende desmatamento em fazenda é adiado

Motivo se deve a falta do relator do processo, o desembargador Paschoal Carmello Leandro. Nova data está prevista para fevereiro

Gabriel Neris e Tainá Jara | 11/12/2019 15:57
Área do Pantanal sul-mato-grossense (Foto: Divulgação)
Área do Pantanal sul-mato-grossense (Foto: Divulgação)

Marcado para esta quarta-feira (11), o julgamento do recurso que suspendia o desmatamento de 20 mil hectares na Fazenda Santa Mônica, no Pantanal de Corumbá, distantes 419 km de Campo Grande, foi adiado para o ano que vem.

O motivo se deve a falta justificada do relator do processo, o desembargador Paschoal Carmello Leandro. A nova data está prevista para 5 de fevereiro de 2020.

Desde 2017, a Justiça tem impedido o avanço do desmatamento na área. Atendendo a pedido do Ministério Público Estadual, a magistrada Luiza Vieira Sá de Figueiredo decidiu em caráter liminar suspender a autorização ambiental do Imasul (Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) aos donos da fazenda, Elvio Rodrigues e Sônia Oliveira Rodrigues.

De acordo com a Promotoria de Corumbá, houve falha no estudo de impacto ambiental apresentado para a obtenção do licenciamento. Até a decisão final, os proprietários estão impedidos de fazer qualquer intervenção na área de mata. Em caso de descumprimento, eles podem ser multados em R$ 5 mil por hectare danificado.

Na ação, o Ministério Público aponta que a autorização não observa o “zoneamento ecológico econômico do Estado, as resoluções do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), o Código Florestal, além da existência de várias falhas do Termo de Referência que embasou o Estudo de Impacto Ambiental, no próprio Estudo e também no procedimento do licenciamento ambiental, o que pode causar sérios riscos ao meio ambiente, em especial, àquela parte do Pantanal onde a atividade será executada”.

*Matéria editada às 17h40 para correção de informação

Nos siga no Google Notícias