ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 20º

Meio Ambiente

Pavão aparece em cartório no Centro e encanta funcionários

Por Luciana Brazil | 08/11/2012 12:20
“Meu pássaro formoso, no escuro dessa noite me ajuda cantar..” (Fotos:Rodrigo Pazinato)
“Meu pássaro formoso, no escuro dessa noite me ajuda cantar..” (Fotos:Rodrigo Pazinato)

A visita colorida e inesperada de um pavão agitou a quinta-feira (8) dos funcionários do cartório do 9° Ofício em Campo Grande. No início do expediente, por volta de 8 horas, a ave foi encontrada no estacionamento interno da empresa, e por lá ficou durante toda manhã.

Ora no chão, ora no telhado, a ave, que tem até letra de música, seduziu com sua beleza, não só os funcionários do cartório, mas também a equipe de reportagem do Campo Grande News.

"Pavão misterioso, pássaro formoso. Tudo é mistério nesse seu voar..."

Se esquivando de uma aproximação mais súbita, o pavão não se acuou totalmente dos curiosos que desejavam ao menos dar uma “espiadinha” no seu colorido. “Ele parece ser doméstico”, diziam.

Encantada com as cores, a funcionária Jane Fomm, 60 anos, anunciava que a ave já tinha um novo lar. “Quero ele pra mim, vou levar ele comigo. Ele é lindo. Só tenho medo porque disseram que podem me prender”, falou dando gargalhadas.

“Ele é lindo demais. O azul e o verde dele são incríveis. Nunca tinha visto tão de perto. Foi uma boa visita”, avaliou Carla de 38 anos.

Como se já tivessem adotado a animal, até a ida ao pet shop foi organizada para comprar uma dos alimentos preferidos da ave, quirera de milho. “Ninguém tinha isso aqui e fomos ao pet shop para comprar pra ele”, contou o funcionário Geferson Proença, 41 anos.

A PMA (Polícia Militar Ambiental) foi acionada, mas por se tratar de uma animal exótico, criado em cativeiro, a responsabilidade de destinação do pavão passa a ser do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres).

“Nós ligamos para PMA, mas eles disseram que não é um animal silvestre, por isso não poderiam  vir busca-lo”, ressaltou Geferson.

O médico veterinário do Cras, Álvaro Cavalcanti, ressaltou a importância de comunicar aos órgãos esses tipos de ocorrência. “Por ser fauna, a responsabilidade de recolhimento é do Cras, basta que nos comuniquem sobre a existência da ave”.

Cavalcanti explicou ainda que o pavão provavelmente, fugiu de algum criadouro. “Ele é um animal doméstico, criado em cativeiro. Ele deve ter fugido de alguém”.

Para criar uma ave tão bela, é preciso comparecer no centro de reabilitação e formalizar a intenção de criação, além de outras exigências, como ter um recinto adequado.

"Pavão misterioso, nessa cauda aberta em leque. Me agurda moleque, de eterno brincar..."

Pavão ficou a manhã inteira no estacionamento da empresa, como se estivesse em casa.
Pavão ficou a manhã inteira no estacionamento da empresa, como se estivesse em casa.
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário