ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  20    CAMPO GRANDE 19º

Meio Ambiente

PMA recolhe três tatus abatidos, armas e multa caçadores em R$ 36,5 mil

O tatu-galinha está na lista das espécies ameaçadas de extinção

Por Aline dos Santos | 12/10/2021 10:14
Policiais apreenderam aves silvestres (ao fundo) e encontraram quatro animais abatidos. (Foto: Divulgação)
Policiais apreenderam aves silvestres (ao fundo) e encontraram quatro animais abatidos. (Foto: Divulgação)

A PMA (Polícia Militar Ambiental) de Batayporã recolheu animais silvestres abatidos, sendo três tatus-galinha, espécie que está na lista de extinção. Dois caçadores foram presos e multados em R$ 36,5 mil.

Os policiais participavam de fiscalização no Rio Ivinhema, no fim da manhã de ontem (dia 11), quando receberam denúncia de caça ilegal e de captura de aves numa fazenda.

Na varanda da residência de um funcionário, de 49 anos, foram encontradas seis gaiolas com aves silvestres sem autorização ambiental: dois curiós, um corrupião e três pássaros-pretos. Questionado sobre a denúncia de caça, o homem assumiu ter carne de animais silvestres em sua residência e armas. Os tatus e uma cutia estavam no freezer.

Também foram encontrados espingarda calibre 28, espingarda calibre 36, cano de espingarda calibre 22, adaptado para uma espingarda calibre 36, e um rifle calibre 22, além de 12 munições calibre 22 intactas e dois cartuchos calibre 36 carregados.

Ele também denunciou seu companheiro de crime, funcionário numa fazenda vizinha. Os policiais foram ao local e prenderam homem de 42 anos. Ambos foram multados em R$ 36.500 por caça ilegal e por manter as aves silvestres ilegalmente em cativeiro. Os presos foram levados para a delegacia de Polícia Civil de Batayporã.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário