ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 28º

Meio Ambiente

Rapaz nega maus-tratos e diz à Polícia que atropelou cadela Mel por acidente

Por Francisco Júnior | 22/03/2012 17:40

Devido gravidade do ferimento, animal não irá mais andar

A cadela Mel segue internada, após agressão. (Foto: Viviane Oliveira)
A cadela Mel segue internada, após agressão. (Foto: Viviane Oliveira)

A Polícia Civil já identificou o homem acusado de cometer maus-tratos contra a cadela vira-lata Mel. O rapaz, de 25 anos, prestou depoimento no último dia 20, após ser denunciado pelo irmão.

De acordo com a delegada da Decat (Delegacia Especializada de Repressão de Crimes Ambientais e Proteção ao Turista), Suzimar Batistela, responsável por investigar o caso, ele negou que tenha ferido a cadela de propósito e diz que tudo não passou de um acidente. “Ele disse que deu marcha-ré no carro e acabou atropelando a cachorrinha”. O nome dele não foi divulgado.

Conforme a delegada Suzimar Batistela, o rapaz justificou ainda que seria incapaz de maltratar a cadela, já que tem outros dois cachorros com deficiência.

Essa versão contradiz a apresentada pelo irmão dele. Em depoimento na delegacia, ele relatou que viu o acusado chutando a cadela. A delegada não descarta fazer uma acareação entre os dois irmãos.

A mãe deles também já foi ouvida pela delegada.

Suzimar Batistela pretende encerrar o inquérito até a próxima semana, após receber o laudo veterinário que pode indicar o provocou a lesão no animal.

A cadela Mel deu entrada na clínica, onde permanece internada, no dia 27 de fevereiro, levada pelo irmão do acusado. Na época, ele não quis dar detalhe de como resgatou o animal ferido.

Devido à lesão na coluna, a cadela tem poucas chances de voltar a andar.

Conforme a delegada, caso seja comprovada a intenção de ferir a vira-lata, o o acusado poderá ser indiciado pelo crime de maus-tratos com pena prevista de 3 meses a 1 ano de detenção. Normalmente, a punição para esse tipo de crime é revertida em prestação de serviços.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário