A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019

29/09/2019 09:02

Setembro termina com temperaturas que não ocorriam desde 2007

Meteorologista da Uniderp, Natalio Abraão afirma que outubro, no entanto, traz instabilidade e fortes chuvas

Izabela Sanchez
Céu aberto, sol, estiagem: retrato do mês de setembro em rua de Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami)Céu aberto, sol, estiagem: retrato do mês de setembro em rua de Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami)

Setembro vai embora e a promessa é que leve junto a estiagem atípica que assolou Mato Grosso do Sul este ano. Outubro chega na terça-feira e a previsão é que traga chuva, mas segundo o meteorologista da Uniderp Natalio Abraão, setembro deixa para trás clima que não ocorria desde 2007. Neste mês, disse, as temperaturas atingiram 6 graus acima da média.

Segundo o meteorologista, até o dia 1 de outubro, terça-feira, as condições climáticas não trazem grandes mudanças. Neste domingo (29) há alerta de baixa umidade do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), que varia entre 30 e 20%, em diversas regiões e cidades de Mato Grosso do Sul.

A partir do dia 2, disse Natalio, a quarta-feira terá muitas nuvens e áreas de instabilidade espalhadas por todo o estado. Até o dia 9 ocorrem pancadas de chuvas, tempestades, com ventos e trovões e há chances de enchente. Cidades como Corumbá, Três Lagoas, Dourados, Campo Grande e Ponta Porã devem ficar em alerta.

As tardes de outubro, diferente de setembro - quando o céu exibia cor cinzenta por fumaças de incêndio, ou azul claro sem chance de chuva -, devem ser instáveis e a cada dia, segundo o meteorologista, uma região será atingida por chuvas e ventos.

Nesta semana que marca o fim de setembro e a chegada de outubro, contou, calor e umidade devem começar a chegar a Mato Grosso do Sul trazidos pela chamada ZCAS (Zona de convergência do Atlântico sul).

 

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions