A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

10/05/2012 11:47

André diz que reajuste para administrativos é "negociação difícil"

Nadyenka Castro e Wendell Reis

Redução nos repasses da União ao Estado é uma das justificativas do governador para proposta inferior a feita pela categoria

Em discurso, governador falou sobre negociação com administrativos da Educação. (Foto: Wendell Reis)Em discurso, governador falou sobre negociação com administrativos da Educação. (Foto: Wendell Reis)

O governador André Puccinelli (PMDB), definiu como “negociação difícil”, as discussões com os administrativos da Educação sobre o reajuste salarial.

Em discurso na manhã desta quinta-feira, durante solenidade de entrega de prêmios do programa Escola para o Sucesso, no Parque Jaques da Luz, André falou sobre a negociação com a categoria, cujos representantes dormiram esta última noite no plenário da Assembleia Legislativa.

Após definir as discussões como “difícil”, André explicou que a proposta do governo é inferior ao que a categoria quer porque “o governo federal mingou os repasses”, diz ele referindo-se à redução no Fundo de Participação dos Estados e no Fundo de Participação dos Municípios.

“No mês passado, o governo federal repassou 32% a menos”, fala o governador que contou que hoje, antes de ir à solenidade, passou na Secretaria de Estado de Fazenda e ficou sabendo que o repasse deste mês do Fundo de Participação dos Estados para Mato Grosso do Sul será de R$ 500 milhões a menos. “Por isso a dificuldade”.

André disse ainda que o reajuste aos administrativos do Estado “se não for o melhor, será o menos ruím possível”. Falou também que os menores salários dos trabalhadores das áreas administrativas - independentes da Educação - vão receber 9.68% de aumento.

O governador declarou que se comprometeu com os servidores administrativos da Educação em dar à categoria, em 2013, o maior reajuste entre todos os servidores. “Assumi o compromisso de, no ano que vem, dar aumento superior ao de qualquer outra categoria”.

Ainda durante discurso, André disse que “gostaria de aumento maior”. “Mas quando você dialoga, discute, fala a verdade, você acaba vencendo”. A última declaração é referente ao fato da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação) dizer que André propôs 6% de reajuste, o governador fala em 9% e a categoria quer 17%.

Reuniões- Na tarde dessa quarta-feira, o governador e deputados estaduais se reuniram com os administrativos da Educação, Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária, Animal e Vegetal) e Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural do Mato Grosso do Sul).

Sobre as negociações com servidores da Iagro e Agraer, André falou que a atitude é “caça aos marajás”, disse referindo-se a altos salários nas duas repartições. “Tem marajá que ganha R$ 40mil, R$ 36 mil, R$ 34 mil”.

Com relação a nota técnica, o governador disse que foi retirada porque o Superior Tribunal de Justiça deu ganho de causa ao governo.



Se uma parcela do administrativo receber aumento a mais é uma prova de discriminação, porque o administrativo é igual em todas as repartições pública do Estado. Ninguem faz serviço diferenciado.
 
luiz alves em 10/05/2012 12:17:50
Lógico que eu gostaria de ter um aumento de 17%, mas vamos por os pés no chão!
Alguém realmente acha que vai ter esse aumento? As outras categorias tiveram aumento entre 5 e 6% e o governador propõe 6% e 9% pra gente...
 
Larissa Aluchna em 10/05/2012 01:15:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions