A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

10/12/2011 12:01

André espera apoio do PSDB e PPS em eventual 2º turno na Capital

Edmir Conceição e Paula Maciulevicius
Observado por Siufi, André diz que não pode haver nariz empinado na articulação de alianças. (Foto: João Garrigó)Observado por Siufi, André diz que não pode haver nariz empinado na articulação de alianças. (Foto: João Garrigó)

O governador André Puccinelli disse que o PMDB não deve ter o PSDB e PPS como aliados na disputa da sucessão do prefeito Nelsinho Trad (PMDB), mas não descarta a hipótese de, na eventualidade de segundo turno, o candidato apoiado pelo governo receber apoio do deputado federal Reinaldo Azambuja, pré-candidato tucano, e do vereador Athayde Nery, pré-candidato do PPS, que hoje já fazem parte da administração.

O governador não aponta o favorito, lembrando que as pesquisas é que vão determinar, prevendo que em março seja conhecido o candidato. Puccinelli voltou a contar com a relação de cinco pré-candidatos, incluindo Mandetta, do DEM, e o secretário Carlos Marun, que já avisou que seu projeto é a Câmara Federal em 2014. Dois cinco nomes (Edson Giroto, Mandetta, Siufi, Marun e Edil), no entanto, o governador reconhece que só três afunilaram – Giroto, Mandetta e Siufi.

Segundo o governador, a imprensa é que reduziu o número de pré-candidatos, no dia da inauguração do complexo Imbirussu-Serradinho. “Será um dos três”, disse Puccinelli, lembrando, no entanto, que a probabilidade de o PMDB lançar chapa pura é de apenas 5%. O governador disse que em negociação política e articulação de alianças, não pode haver nariz empinado.

O fato da oposição ter saído na frente não significa muito, segundo o governador, lembrando que já viu candidato se lançar faltando dois dias para o prazo e acabar eleito. Até o último momento o PMDB vai buscar um vice que ‘agregue’, segundo André.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions