A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

26/09/2013 12:57

Após reclamação, CPI terá um capítulo “exclusivo” para questão indígena

Leonardo Rocha
Presidente da CPI vai marcar uma reunião para se discutir a saúde indígena (Foto: Divulgação)Presidente da CPI vai marcar uma reunião para se discutir a saúde indígena (Foto: Divulgação)

Os integrantes da CPI da Saúde da Assembleia decidiram dedicar um capítulo exclusivo do relatório final sobre as condições da saúde da comunidade indígena. Esta iniciativa partiu após membros do conselho da saúde indígena ir até a Assembleia reclamar da gestão e políticas públicas voltadas para esta área. Eles estão acampados desde o dia 18 de setembro na sede da SESAI (Secretaria Especial de Saúde Indígena), exigindo a saída da atual gestão.

O presidente da CPI, o deputado estadual Amarildo Cruz (PP), vai encaminhar a comissão o pedido de uma reunião exclusiva para tratar o tema. “Vamos convocar os representantes do conselho assim como dos gestores, iremos confrontar as informações para saber o que se pode melhorar”, destacou ele.

A comissão deve convocar Fernando Terena, presidente do conselho distrital de saúde indígena, e o atual coordenador estadual da SESAI, Nelson Carmelo. “Toda gestão que não discute as políticas de saúde com os conselhos está errando, pois este é o melhor instrumento tanto para fiscalizar como para contribuir com o gestor, vamos definir apenas data e horário para fazermos esta reunião”, ressaltou.

Recursos - Fernando argumentou houve um aumento de recursos voltados à saúde indígena no Estado, no entanto a qualidade piorou. “Em 2009 eram R$ 20 milhões, este ano subiu para R$ 45 milhões e ano que vem chegaremos aos 50 (milhões), no entanto as condições estão precárias”.

De acordo com o conselheiro, faltam insumos, equipamentos, medicamentos e os postos de saúde nas aldeias estão precários. “Queremos saber onde este dinheiro está sendo investido, nós somos o controle social, precisamos ter uma participação mais ativa”, ressaltou.

O grupo de 30 indígenas que participaram da sessão de hoje da Assembleia, pediram que além de modificar as políticas voltadas à saúde indígena, também seja retirada os representantes da atual gestão, inclusive o coordenador Nelson Carmelo. “Tem que fazer uma alteração em tudo, não existe acordo além deste”, destacou Fernando.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions