A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018

20/05/2013 17:48

Assembleia vota amanhã tabelas de reajustes; servidores devem lotá-la

Zemil Rocha
Policiais civis devem voltar à Assembleia Legislativa nesta terça-feira (Foto: Vanderlei Aparecido)Policiais civis devem voltar à Assembleia Legislativa nesta terça-feira (Foto: Vanderlei Aparecido)

A Assembleia Legislativa do Estado deve votar amanhã os projetos de reajuste salarial diferenciado para várias categorias de serviços públicos, complementando a aprovação na semana passada do aumento linear de 5%. O governador André Puccinelli informou hoje, em reunião com deputados da base governista, que encaminha amanhã todos os projetos para ser votados em regime de urgência.

Na reunião com o presidente da Assembleia e outros deputados da base de apoio, Puccinelli informou o andamento das negociações com os servidores e pediu que os parlamentares se empenhassem na aprovação dos projetos, já que o prazo para rodar a folha de pagamento já está se esvaindo.

Os servidores públicos prometem lotar as galerias da Assembleia para defender seus interesses durante a votação dos projetos. As associações de policiais civis, que deflagraram greve, e a dos policiais e cabos da Polícia Militar, que anunciou hoje decisão de promover “aquartelamento”, estão se mobilizando para que servidores e familiares lotem a Assembleia Legislativa, portando faixas e pedindo espaço para fazer uso da palavra.

“Vai ser uma sessão tumultuada”, prevê o líder do PMDB na Assembleia, deputado estadual Eduardo Rocha. “Toda vez que você tem projeto com discussão forte com sindicatos de servidores. quando não vai combinado em 100%, tem manifestação”, completou o parlamentar.

Eduardo Rocha destacou, porém, que as negociações continuam sendo realizadas, havendo sempre possibilidade de ser costurado algum acordo com os servidores insatisfeitos até amanhã. “O governo não está de porta fechada. Torcemos para que até amanhâ tudo esteja bem encaminhado”, ponderou o deputado peemedebista.

 



quem disse que o governo está aberto a negociação, pois se prestar atenção ele não arredou um por cento de aumento do que ofereceu a categoria desde do inicio, se isso e abertura de negociação não sei o que imposição.. basta olhar tudo o que ofereceu, desde o inicio foi 7% e se fizesse greve e que iria dar 5%, nada mudou continua em 7% e tudo o restante e para o próximo governo pagar.
 
paula magno em 20/05/2013 21:08:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions