A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

22/09/2017 12:58

Bancada de MS se divide e tem indecisos sobre denúncia contra Temer

Segunda denúncia contra o presidente será avaliada pela Câmara dos Deputados, após decisão do STF

Leonardo Rocha
Bancada de MS terá que votar sobre segunda denúncia contra Temer (Foto: Arquivo)Bancada de MS terá que votar sobre segunda denúncia contra Temer (Foto: Arquivo)

A bancada federal de Mato Grosso do Sul tem deputados indecisos sobre a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB), que será encaminhada pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Também possui o grupo que é a favor do prosseguimento da investigação, assim como os que já se posicionam contra, entre eles Carlos Marun (PMDB).

No grupo dos parlamentares a favor da denúncia estão Zeca do PT, Vander Loubet (PT) e Dagoberto Nogueira (PDT), que fazem parte da oposição a Temer. Eles alegam que é preciso investigar de imediato, as denúncias apresentadas pelo ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

"Estou confiante que desta vez os deputados vão aceitar a denúncia, até porque da primeira vez houve muitas promessas de emendas que não foram cumpridas, ou seja, pode haver debandada da base de apoio, com a oposição tendo os votos necessários para a investigação prosseguir", disse Dagoberto.

Já Zeca do PT não está tão otimista e diz que a base já se articul para derrubar a nova denúncia. "Eles já estão trabalhando, por exemplo com articulação com bancada rural, em projetos que vão favorecer o setor, por isso acredito que (denúncia) será derrubada de novo. A bancada do PT segue votando sim", disse o parlamentar.

Carlos Marun (PMDB), aliado do presidente, já declarou que a base está segura para derrubar a denúncia, que de acordo com ele, não tem provas concretas contra Michel Temer. O peemedebista diz que o resultado desta votação na Câmara (Deputados), pode até ser superior a primeira, em favor do Palácio do Planalto.

Indecisos - Os deputados Geraldo Resende (PSDB), Elizeu Dionísio (PSDB) e Tereza Cristina (PSB), que da primeira vez votaram contra a denúncia, ainda não se manifestaram sobre o novo pedido, alegando que vão ainda analisar o processo. "Vou ler o conteúdo primeiro e só depois se manifestar, ainda não tenho posição definida", disse Resende.

Mesma postura de Luiz Henrique Mandetta (DEM), que adiantou que vai ouvir as duas partes envolvidas. "Como da outra vez, quero conferir os argumentos tanto da acusação, como da defesa, participar dos debates e só depois decidir, mas entendo que não terá votos suficientes para ser aprovada". O democrata votou a favor da investigação, na primeira denúncia.

Decisão - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, liberou ontem (21), o envio à Câmara dos Deputados da segunda denúncia apresentada pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer. A decisão foi tomada pelo ministro após a decisão do plenário que autorizou o envio por 10 votos a 1.

Rodrigo Janot denunciou o presidente pelas práticas de organização criminosa e obstrução da Justiça. Para que a investigação prossiga neste momento, são necessários 342 votos dos deputados, dos 503 que estão no Parlamento. Se não tiver os votos suficientes, Temer só será avaliado pela Justiça, quando terminar o seu mandato.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions