ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 15º

Política

Bate-boca por causa de deputado bolsonarista preso chega à Assembleia

Petista diz que PSL elegeu muitos marginais na onda de Jair Bolsonaro

Por Gabriela Couto | 18/02/2021 12:11
Coronel David (sem partido) e Pedro Kemp (PT) protagonizaram discussão sobre prisão de deputado federal - (Foto: Reprodução)
Coronel David (sem partido) e Pedro Kemp (PT) protagonizaram discussão sobre prisão de deputado federal - (Foto: Reprodução)

Durante a sessão ordinária desta quinta-feira (18) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), os deputados estaduais Pedro Kemp (PT) e Carlos Alberto David (sem partido) protagonizaram discussão acalorada sobre a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), em Brasília (DF).

O mandado de prisão em flagrante por crime inafiançável foi expedido pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), na noite de terça-feira (16), após o deputado federal postar vídeo com discurso de ódio contra os integrantes da Corte.

Pedro Kemp decidiu se manifestar pedindo punição rigorosa do deputado do PSL. “Ao meu ver, o deputado do PSL quebrou o decoro parlamentar. Espero que a Comissão de Ética casse o mandato dele e o congresso dê uma resposta a população brasileira. Muitos marginais foram eleitos nas últimas eleições na onda bolsonarista e eles não podem se arvorar ao direito de atacar as instituições e a democracia do País”, pontuou.

O petista ainda elogiou o posicionamento do deputado federal Fábio Trad (PSD) que classificou como "extremamente grave" a fala de Daniel Silveira. "A imunidade parlamentar não tem a dimensão de acobertar práticas criminosas. É preciso estar muito atento porque a mãe de todas as liberdades é a democracia."

Kemp disse que assinava embaixo do posicionamento do parlamentar sul-mato-grossense. “Concordo em gênero, número e grau. Esses arroubos autoritários de alguns não podem desviar o olhar do povo neste momento para a crise que o país enfrenta. Daniel Silveira tem que ser cassado e preso para servir de exemplo a todos aqueles que acham que podem afrontar o Estado democrático de direito.”

O bolsonarista rebateu o colega afirmando que a Constituição prevê que os parlamentares são invioláveis civil e penalmente por qualquer opinião, palavras e votos.  “Tenho aqui a mesma opinião de um jurista e quero compartilhar. Presta atenção aí deputado Pedro Kemp e deputado Cabo (José) Almi (PT).”

Bate-boca - "Estou prestando”, prontamente respondeu o petista. Mas David não gostou e alfinetou. “Eu não lhe dei aparte. Por favor! Eu ouvi com toda educação e o senhor fique agora recolhido no seu silêncio.”

Como exemplo, David falou da postagem de Kemp no dia anterior. “Vi sua publicação falando que o PSL elegeu marginais. Apesar de não concordar com aquilo que foi escrito, eu defendo a liberdade de opinião do parlamentar, sem restrições.”

O deputado ainda complementou os argumentos. “Não podemos permitir em hipótese alguma que na calada da noite, um ministro do STF, invocando um poder soberano, possa tirar a liberdade de um parlamentar por ter se estressado.  Não existe dentro do ordenamento jurídico brasileiro o crime de opinião como inafiançável. O que vimos foi um ataque a nossa constituição e uma prisão absurda.”

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário