ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  02    CAMPO GRANDE 21º

Política

Bernal já tem agência escolhida antes da licitação ser aberta, denuncia Elizeu

Por Josemil Arruda | 18/12/2013 18:05
Elizeu diz que, pela denúncia, Agência Doze é "11 de Bernal mais 1 de Cabral" (Foto: arquivo)
Elizeu diz que, pela denúncia, Agência Doze é "11 de Bernal mais 1 de Cabral" (Foto: arquivo)

O ex-relator da CPI do Calote, vereador Elizeu Dionízio (SDD), denunciou hoje, durante a sessão da Câmara de Campo Grande, um esquema licitatório que teria a finalidade de beneficiar uma agência de publicidade recentemente criada. “É mais uma do jeitinho peralta de governar”, acusou o vereador, referindo-se ao prefeito Alcides Peralta Bernal (PP).

Da tribuna da Câmara e através de documento distribuído por sua assessoria à imprensa, Elizeu Dionízio denunciou que “no mercado publicitário a notícia que corre é que a empresa que vai abocanhar a maior fatia dos contratos é agência chamada Doze, recém criada para atender a comunicação da Prefeitura”.

Além de acusar o prefeito de estar por traz dessa Agência Doze, o ex-relator da CPI do Calote disse que recebeu denúncia que acusa o marketeiro Júlio Cabral, atual presidente da Fundação de Cultura (Fundac), de também participar do esquema. “Dizem até que a Doze é a soma dos 11 do Bernal mais o 1 do Júlio Cabral, aquele assessor que empregava a Márcia Scherer e que veio à Câmara...”, cita o vereador no documento distribuído à imprensa.

Dionízio enfatizou ainda que a licitação prevê a contratação de nove agências de publicidade, totalizando R$ 12 milhões, “mas não divide a verba entre elas, de forma que é uma dela (a Doze) pode ficar com a parte do leão”.

Durante seu pronunciamento, o vereador também criticou a forma como vem sendo encaminhada a licitação, com uma Subcomissão Técnica julgadora estando para ser formada de última hora. O edital para abertura de inscrição para a referida subcomissão só foi publicado ontem, enquanto a abertura das propostas de licitação está prevista para acontecer dia 23 de dezembro, antevéspera do feriado de Natal.

“Até o dia 20 de dezembro os profissionais poderão se inscrever. Depois, os nomes tem que ser publicados no Diário Oficial por 10 dias para fins de impugnação. Só depois haverá o sorteio da subcomissão. E isso é impossível de acontecer até 23 de dezembro”, afirmou o vereador, anunciando que vai levar a denúncia ao Ministério Público Estadual.

Elizeu Dionízio disse, ao Campo Grande News, que a atual denúncia é proveniente da mesma fonte que lhe antecipou, dez dias antes, que a MegaServ seria vencedora da licitação para contratação de serviço de limpeza para os postos de saúde. "É o mesmo esquema que beneficiou a MegaServ, Salute e Jagás", garantiu.

Agencia Doze – O presidente da Fundação de Cultura de Campo Grande (Fundac), Júlio Cabral, negou que tenha qualquer tipo de participação na Agência Doze, que teria sido recém criada para participar da licitação de publicidade da gestão do prefeito Alcides Bernal. “Tenho a Agência Cabral Comunicação, que está desativada”, assegurou.

Questionado se tem conhecimento sobre a Agência Doze, Cabral respondeu: “Nem sei se existe. Agencias que eu conheço são a Arte Traço, Agilitá e outras que estão no mercado. Trabalhei em publicidade muitos anos. e fiz a campanha eleitoral do Bernal, mas estou agora na Cultura. Me surpreende essa conversa do vereador”.

Informado sobre o pronunciamento de Elizeu Dionízio na Câmara, Júlio Cabral reagiu, lembrando de acusações que foram feitas contra o vereador na Câmara. “Esse vereador é aquele que tem agência e conseguiu se livrar de processo na Câmara?”, indagou. “Ele tem de se preocupar com problema dele na agência, que fez maracutaia na Câmara, num esquema de recebimento de verba irregular. Se ele citar meu nome, vai responder pelo que ele falar, vai responder a processo por calúnia e difamação”, avisou.

Nos siga no Google Notícias