ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 31º

Política

Bolsonaro diz que OAB só defende bandido e reserva indígena é um crime

Por Antonio Marques e Leonardo Rocha | 22/04/2015 11:27
Bolsonaro se diz vítima dos movimentos. (Foto: Marcelo Calazans)
Bolsonaro se diz vítima dos movimentos. (Foto: Marcelo Calazans)

O movimento LGBT, a OAB e os índios foram os principais alvos das declarações do deputado federal Jair Bolsonaro nesta manhã durante entrevista no Comando Geral da Polícia Militar, após receber a Medalha Tiradentes. Ele disse que a OAB só defende bandido e as reservas indígenas são um crime para o país.

Ele usou o fato de a Ordem dos Advogados do Brasil se posicionar contrária a redução da maioridade penal para dizer que jamais viu a Ordem defender famílias de vítimas, “sempre apoiam bandidos. Nunca fizeram uma nota contra a corrupção.”

Bolsonaro disse ser vítima dos movimentos, pois sofre ataque por ser considerado homofóbico, nazista, fascista e até torturador. “Mas não me chamam de corrupto, porque isso eles são, não eu”, ressaltou.

Depois de declarações sobre o movimento LGBT, que defende o kit gay nas escolas, posição que ele é radicalmente contra, o deputado também opinou sobre a questão indígena no Brasil. Para ele, as reservas indígenas são um crime em nosso país e defende que a demarcação de terras indígenas deve ser autorizada pelo Congresso e a União, sendo a favor da PEC 215, em tramitação na Câmara dos Deputados. Essa PEC é combatida pelos indígenas e movimentos em defesa dos índios.

“Os índios não falam nossa língua, não têm dinheiro, não têm cultura. São povos nativos. Como eles conseguem ter 13% do território nacional”, questionou. Talvez tenha esquecido que há exatos 515 anos os índios eram únicos donos do território.

Bolsonaro lembra que, se observar o mapa das riquezas minerais no país, “não tem terra indígena onde não têm minerais. Ouro, estanho e magnésio estão nessas terras, especialmente na Amazônia, a área mais rica do mundo. Não entro nessa balela de defender terra pra índio” afirmou Bolsonaro, que é a favor de o índio ser integrado ao povo e “não ser tratado como bicho em zoológico.”

Especificamente sobre as reservas em Mato Grosso do Sul, o deputado citou o caso de Dourados, onde a terra é muito fértil e as reservas “sufocam o agronegócio. No Brasil não se consegue diminuir um metro quadrado de terra indígena”, declarou

Mulheres ganham menos, segundo IBGE - Explicou também que foi mal interpretado em uma entrevista que concedeu no Rio Grande do Sul, ao usar dados da pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) para dizer que as mulheres ganham menos que os homens. “Colocaram essa informação na minha conta, como se eu defendesse que a mulher deva ganhar menos.”

Ainda sobre a questão trabalhista, Bolsonaro alertou que vai chegar o momento em que os trabalhadores vão ter de decidir entre ter menos direitos trabalhistas e ter emprego ou ter muitos diretos e ficar sem emprego. “Ser patrão neste país é muito difícil, não é fácil”.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário