ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  09    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Grupos criam eventos para protestar e apoiar Bolsonaro em Campo Grande

Por Ricardo Campos Jr. | 21/04/2015 16:16

Internautas se mobilizam a favor e contra a presença do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) em Campo Grande. O parlamentar receberá honraria e será homenageado pela PM (Polícia Militar) nesta quarta-feira (22) pela atuação no setor da segurança pública.

A polêmica gira em torno da postura do político contra os movimentos LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros).

No evento criado no Facebook intitulado “Campo Grande a favor de Bolsonaro”, 462 pessoas foram convidadas e até a publicação desta reportagem 12 haviam confirmado presença. No texto de apresentação, os organizadores colocam o deputado como “um dos únicos defensores dos trabalhadores, pessoas de bem, da moral e dos bons costumes”.

Outro grupo, chamado “Todos contra Bolsonaro”, não apenas critica o parlamentar como se coloca contra a polícia por tê-lo escolhido para a medalha Tiradentes, chamando-o de “fascista, misógino (que ter aversão às mulheres), racista, LGBTfóbico, machista e torturador”. Das 3,7 mil pessoas convidadas para o evento, 342 confirmaram a presença.

Participantes desses dois eventos atacam uns aos outros nos comentários. Uma internauta, por exemplo, deixou recado dizendo que pretende deletar os amigos que são a favor do parlamentar. “Se é Bolsonaro, não quero conhecer, conviver, ver e ouvir”.

Não faltam críticas aos seguidores do político. “Não dá para querer continuar vivendo em um mundo onde as pessoas seguem veementemente as ideias dessa cabecinha (Bolsonaro) doente”, diz uma integrante.

O mesmo existe no evento rival. “Irei com a minha família e colocar para correr esses babacas do LGBT”, diz um dos internautas.

Polêmica - A semana passada, a OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil) e o movimento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) pediram ao comando da PM que a homenagem fosse cancelada.

A onda de protesto contra a homenagem não surtiu efeito e o Governo do Estado manteve o parlamentar na lista dos homenageados. “É uma decisão da PM e não da população. Quando você faz uma festa em sua casa, você escolhe os convidados”, resumiu o titular da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), Silvio Maluf.

A homenagem ao deputado federal foi endossada pelo governador Reinaldo Azambuja. “Foi uma decisão e uma escolha da PM. Sabemos que o Bolsonaro é um deputado polêmico e que gera repercussão. Porém, ele já apresentou inúmeros projetos de lei sobre segurança, mais de dez projetos a favor de segurança publica do País. Por esse motivo foi escolhido para ser homenageado”, diz.

Sobre as polêmicas declarações de Bolsonaro, Azambuja afirma que são questões pessoais do parlamentar.