A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2018

04/12/2018 19:50

Candidato ao comando da Assembleia, Corrêa vê obra e concurso como prioridades

Deputado afirma, porém, que antes de tomar decisões é necessário “sentar e entender” as finanças da Casa; dados poderiam ser obtidos ainda neste ano

Humberto Marques
Corrêa acredita que não haveria obstáculos para candidatos em obter dados sobre a gestão da Assembleia ainda neste ano. (Foto: Paulo Francis)Corrêa acredita que não haveria obstáculos para candidatos em obter dados sobre a gestão da Assembleia ainda neste ano. (Foto: Paulo Francis)

Agora oficializado pelo PSDB como candidato do partido ao comando da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Paulo Corrêa apontou como prioridades para a futura presidência da Casa a conclusão das obras de ampliação do Palácio Guaicurus e a convocação de candidatos aprovados no último concurso público de provas e títulos para o quadro do parlamento. Antes, porém, é necessário “sentar e entender efetivamente as contas” da Casa, informações que, acredita, a Mesa Diretora poderá franquear a possíveis candidatos ainda neste ano.

O deputado foi indicado pelos tucanos candidato ao comando da Casa ao vencer disputa contra Onevan de Matos, que teve o próprio voto e acabou polarizando uma disputa iniciada com quatro concorrentes –o Professor Rinaldo já havia sinalizado apoio ao vencedor, enquanto Felipe Orro não participou da votação e Marçal Filho, que dissera não ter interesse na disputa, também decidiu pelo apoio a Paulo Corrêa.

Depois de anunciada a decisão, Paulo Corrêa anunciou que iniciará a busca por mais apoios visando a compor uma chapa “plural e democrática”, garantido representação de partidos ou blocos. “Vamos abrir a possibilidade de uma negociação aberta para todos os partidos poderem ter voz e voto”, sinalizou o deputado, que exerce seu sétimo mandato e espera fazer uma chapa que possa “administrar a Assembleia de forma diferente”.

Ex-primeiro secretário, ele revelou que a primeira meta, caso eleito, será “sentar e entender efetivamente as contas e, depois ver o tamanho das coisas que quero fazer”. “Basicamente é descobrir como está atualmente. Temos certeza que a atual Mesa Diretora não se negará a isso. Pode-se até mesmo requisitar as informações antes, para fazer um diagnóstico. Acho que antes do final do ano poderíamos ter isso nas mãos”.

Corrêa revelou, porém, que deseja terminar a obra de ampliação da Assembleia iniciada em 2011 –composta por anexos e estacionamento– em na parte administrativa, “chamar a convocar” todos os aprovados no concurso público de provas e títulos realizado neste ano “até por um direito”. Por outro lado, ele afirma que vai respeitar também o direito de novos deputados realizarem a livre nomeação de seus assessores de apoio, como ocorre atualmente nos gabinetes.

Disputa – Paulo Corrêa foi o primeiro nome a ser chancelado na disputa pelo comando da Assembleia, tendo aval do PSDB para composições. O cargo, porém, interessa a outros grupos partidários. Em entrevista ao Campo Grande News, o deputado eleito Capitão Contar (PSL) revelou que tem interesse no cargo, dentro de um projeto de “renovação” que englobaria a Mesa Diretora.

O candidato tucano disse “respeitar todas as candidaturas”, considerando-as legítimas, mas lembrou que, no Legislativo estadual, são necessários 13 votos para eleger o presidente. “Não há restrição para quem quer ser presidente. Juntos nós vamos sentar e decidir”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions