A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

09/09/2014 20:10

Candidatos ao Governo debatem ações contra violência doméstica na OAB

Alan Diógenes e Michel Faustino

Os candidatos ao Governo do Estado Nelson Trad Filho (PMDB), professor Monje (PSTU) e Sidney Melo do (PSOL), juntamente com a vice do candidato Evander Vendramini (PP) Virgínia Magrini participaram na noite desta terça-feira (9) de um debate sobre a criação da Delegacia 24 horas que irá investigar casos de violência doméstica. O evento aconteceu na sede da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande.

Sendo o primeiro a discursar, Nelson Trad criticou a ausência dos candidatos Delcídio do Amaral (PT) e Reinaldo Azambuja (PSDB) no encontro. “A ausência dos candidatos é uma falta de interesse com um assunto tão importante que deve ser discutido amplamente com sociedade”, comentou.

De acordo com o candidato é preciso aumentar o número de delegacias especializadas em atendimento às vítimas de violência doméstica e qualificar os profissionais que irão atendê-las. “Não é só questão de ampliar a estrutura desses locais. É preciso capacitar os profissionais para que eles possam saber lidar com as vítimas que estarão fragilizadas devido à agressão. É preciso ter um plano diferente de atendimento com trabalhos preventivos que devem ser feitos em defesa da mulher”, explicou.

Já o candidato professor Monje atacou o PT e PMDB. Ele disse que os parlamentares de ambos os partidos já estão há muito tempo no poder e nada fizeram para ajudar as mulheres vítimas de violência doméstica. “Segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) uma mulher é estuprada a cada dois minutos no Brasil. Tem que existir políticas públicas para coibir este tipo de situação e os dois partidos nada fizeram até agora”, ressaltou.

O professor Monje se mostrou a favor da descriminalização do aborto e também defendeu a capacitação dos profissionais para atuarem na área de defesa à mulher. “Nas delegacias ainda existe um pensamento machista e as mulheres não são bem atendidas. Algumas pessoas não entendem a situação que elas estão passando. Temos que mudar essa realidade. Além disso, temos que descriminalizar o aborto, por que cada mulher deve cuidar do próprio corpo e decidir se aborta ou não”, destacou.

O candidato Sidney Melo do (PSOL) afirmou que as políticas sociais em defesa da mulher são tratadas como “bijuterias que não tem objetividade e só servem para enfeitar”. Conforme o candidato as coordenarias criadas para atender as vítimas de violência não estão resolvendo o problema. “A criação de delegacias 24h foi um pedido antigo do PSOL, mas Governo do Estado disse que não havia mão de obra adequada para criá-las na época”, finalizou.

O candidato Delcídio do Amaral foi representado por Paulo Terra. A advogada Luciana Cássia Azambuja representou o candidato Reinaldo Azambuja que teve sua ausência justificada devido a conflito de agenda. Por meio de nota, o candidato falou sobre a importância da discussão sobre o assunto e da necessidade de se aumentar o número de delegacias de proteção à mulher.

Além dos candidatos, participaram da reunião representantes da Ong de Defesa à Mulher, representantes da OAB e da Comissão de Defesa da Mulher da OAB. Durante os candidatos assinaram ainda um termo no qual se comprometem, entre outras coisas, a implantar delegacias 24 horas de atendimento às mulheres. O documento foi produzido por várias instituições.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions